Cancioneiro Escoteiro

30 de setembro de 2009 - Autor: Capitão Anilto

Foi adicionado na página de downloads um arquivo DOC com 278 canções escoteiras, enviado pelo Chefe Paulo Jorge, do GE Butantã – São Paulo. Vale a pena conferir. No futuro pretendo criar um índice das canções, para facilitar as consultas. Peço que tenham paciencia.

Contatos com o remetente:

Paulo Jorge
GE do Butantã
Fone 11-79079592
NOVIDADE >>>>>>>>>> http://www.twitter.com/gedobutanta

Sede Administrativa:
R.Dr.João Vieira Neves, 343
Butantã – São Paulo – S.P.


1 – DE “B.P.” TRAGO O ESPÍRITO
De “B.P.” trago o espírito
sempre na mente, sempre na mente, sempre na mente.
De “B.P.” trago o espírito
sempre na mente, sempre na mente estará.

De “B.P.” trago o espírito
no coração, no coração, no coração.
De “B.P.” trago o espírito no coração, no coração estará.
De “B.P.” trago o espírito junto de mim, junto de mim, junto de mim.
De B.P.” trago o espírito junto de mim, junto de mim, estará.

De B.P.” trago o espírito sempre na mente, No coração, junto de mim.
De “B.P.” trago o espírito sempre na mente, no coração estará.

2 – CHALI GULI
Chali guli, chali guli, chali guli, é umpa umpa umpa
Chali guli, chali guli, chali guli, é umpa umpa umpa
Guim gam guli guli guli uatcha, guim gam gu guim gam gu
Guim gam guli guli guli uatcha, guim gam gu guim gam gu

Eila, Eila Sheila
Eila Sheila, Eila ôôô
Eila, Eila Sheila
Eila Sheila, Eila ô

3 – TUPÃ
Foi Tupã, foi Tupã, foi Tupã,
Foi Tabajara, foi Tabajara lá na terra de Tupã
Tem periquito, arara, maracanã
Todas as aves do céu quem nos deu foi Tupã.
Foi Tupã, foi Tupã, foi Tupã
Foi Tabajara, foi Tabajara lá na terra de Tupã
Tem periquito, arara, maracanã
Todas as aves do céu quem nos deu foi Tupã.
Foi Tupã, foi Tupã, foi Tupã…

4 – Salta o pão
Salta o pão, solta o pão, solta o pão
Te dou na cara, te dou na cara se você não salta o pão
Tem goiabada, marmelada e requeijão,
O que eu vou fazer com isso se você não solta o pão.
Salta o pão, solta o pão, solta o pão
Te dou na cara, te dou na cara se você não salta o pão
Tem goiabada, marmelada e requeijão,
O que eu vou fazer com isso se você não solta o pão.

5 – CIRANDA LOBO
Eu sou um bom lobinho
E escoteiro quero ser
E seguindo o bom caminho
Bem depressa eu vou crescer

As leis e a promessa
Eu já aprendi de cor
Vou agora bem depressa
Fazer sempre o melhor

6 – SOLETRANDO
M – A = MA
N – E = NE …… MANE
P – I = PI …… MANEPI
P – O = PO …… MANEPIPO
C – A = CA …… MANEPIPOCA

C – A = CA
P – O = PO …… CAPO
P – I = PI …… CAPOPI
N – E = NE …… CAPOPINE
M – A = MA …… CAPOPINEMA

7 – VALSA DA DESPEDIDA
Por que perder a esperança,
De nos tornar a ver.
Por que perder a esperança,
Se há tanto querer.

Não é mais que um até logo,
Não é mais que um breve adeus,
Bem cedo junto ao fogo,
Tornaremos a nos ver.

Com nossas mãos entrelaçadas
Ao redor do calor
Formemos nesta noite
Um símbolo de amor

Não é mais que um até logo…

Pois o senhor que nos protege,
E nos vai abençoar.
Um dia certamente,
Vai de novo nos juntar.

Não é mais que um até logo…

8 – O LOBINHO
De olhos castanhos,
De pelo limpinho,
De faro bem forte,
Eu sou um lobinho.

Sou muito valente,
E dou muitos saltos,
E no grande uivooooooooooo,
Eu grito mais alto.

pulo para frente,
Eu salto para trás,
Dou mil cambalhotas,
Sou forte demais.

Tirei as estrelas
Esta tudo azul,
só falta agoraaaaaaaaaaaaa
Cruzeiro do sul.

9 – LA NA NOSSA ALCATEIA
O Lobinho quando entra na Alcatéia,
É acanhado, é medroso e é chorão.
Aqui salta, brinca e canta,
Cai e ri e se levanta.
E se torna um Lobinho valentão.

O Lobinho lá na nossa Alcatéia,
Sempre tem pinta de campeão,
Mas se é mole ou zangado,
Ou se torna mascarado,
Nós mandamos o Lobinho para o Japão.

Lá na Alcatéia o mau não se perdura,
Lá na Alcatéia tudo vive em paz,
Lá na Alcatéia o que é bom que se apura
Porque o Lobinho o melhor possível faz.

10 – SERENÔ
Sou Lobinho eu saio, eu saio,
Com a Alcatéia para acantonar,
Já arrumei minha mochila,
Já é hora de zarpar.

E de noite, ai ai ai
Que cansaço, ai ai ai
Ter no chão que dormir muito mal.
Quem me dera, ai ai ai
Se eu pudesse, ai ai ai
Ir para a cama num sono legal.

Sou Lobinho eu saio, eu saio…

Fico triste, ai ai ai
E pensando, ai ai ai
Ta na hora de ter que voltar.
Akelá, ai ai ai
Me consola, ai ai ai
Porque aqui é que eu quero ficar.

Sou Lobinho eu saio, eu saio…

11 – MICHILIN
Esse carro é só defeito, já não serve mais para mim,
Vou ver se dou um jeito consertando com michilin.

Lá ( aponta os dois polegares para trás ) na estrada em curva ( faz um movimento sinuoso com as mãos imitando estrada ) deu um furo ( aponta os dois polegares para baixo ) no pneu ( imita um pneu com as mãos ).
Lá na estrada em curva deu um furo no pneu.
Lá na estrada em curva deu um furo no pneu.
Lá na estrada em curva deu um furo no pneu.

Consertamos com michilin.
( estala os lábios e com a mão faz que esta colando no colega do lado )

vai repetindo os movimentos, deixando de falar uma parte de “Lá na estrada em curva deu um furo no pneu”.

… na estrada em curva deu um furo no pneu.
……………….. um furo no pneu.
……………………. no pneu.
…………………………..

12 – DÊ UM SORRISO
Dê um sorriso, só sorriso aberto
Sorriso certo cheio de amor
Dê um sorriso, só sorriso aberto
Sorriso certo cheio de amor

Quem tem amor, gosta de cantar,
Vive sempre sorrindo,
Mesmo quando não dá
Tropeça aqui e cai acolá

Mas logo se levanta e começa a cantar:

Dê um sorriso, só sorriso aberto
Sorriso certo cheio de amor
Dê um sorriso, só sorriso aberto
Sorriso certo cheio de amor

13 – BOM DIA
Alô! Bom dia, como vai você?
Um olhar bem amigo, um caro sorriso e um aperto de mão.
E a gente sem saber como e porque, se sente feliz e sai a cantar uma alegre canção.
Bom dia nada custa, ao nosso coração, e é bom fazer feliz o nosso irmão.
A Deus se deve amar, amar sem distinção.
Alô! Bom dia irmão.

14 – FLY
Fli
Fli flai
Fli flai flu
Flis tac
Cumba la le cumba la le cumba la le vista
No no nono levista
Mini mini essa mini mini mini uaua
No no nono chiuaua

15 – PARA CAMINHADAS
Está tudo azul no céu, o caminho esta aberto,
Sopra o vento sul, tudo dando certo.

Para frente, para frente vamos caminhar,
Que prazer que alegria é excurcionar.

Um alto foi dado para descansar,
O riacho ao lado canta sem parar.

Para frente, para frente vamos caminhar,
Que prazer que alegria é excurcionar.

Nossa caminhada, nesse belo dia,
Não vai ter mais nada, só muita alegria.

Para frente, para frente vamos caminhar,
Que prazer que alegria é excurcionar.

Que felicidade, caminhar assim,
Longe da cidade, no campo sem fim.

Para frente, para frente vamos caminhar,
Que prazer que alegria é excurcionar.

16 – LA BELA POLENTA
Quando se pianta la bela polenta,
la bela polenta se pianta cozi.
Se pianta cozi.
Ô, ô, ô bela polenta cozi
Tcha tcha pum
Tcha tcha pum
Tcha tcha pum, pum pum pum

Quando se rega la bela polenta,
la bela polenta se rega cozi.
Se rega cozi. Se pianta cozi
Ô, ô, ô bela polenta cozi
Tcha tcha pum
Tcha tcha pum
Tcha tcha pum, pum pum pum

Troca por:
Pianta, rega, cresce, flora, talha, colhe, moe, mexe, coze, manja e gusta.

17 – CHAMADO
Venha descobrir, criar e ser… descobrir, criar e ser.
Venha participar… participar.
E vamos juntos todos amar.

Você tem gente, ao seu redor,
Que quer lhe dar todo o amor
Você aqui… Você aqui tem amizade,
Mesmo bem longe, de sua cidade.

Venha descobrir, criar e ser… descobrir, criar e ser…

Descubra a vida com alegria,
E crie sempre muita harmonia,
Seja você o mensageiro,
Leve esse canto ao mundo inteiro.

Venha descobrir, criar e ser… descobrir, criar e ser…
18 – HINO À BANDEIRA
Música: Francisco Braga (1868-1945)
Letra: Olavo Bilac (1865-1918)
Salve lindo pendão da esperança,
Salve símbolo augusto da paz!
Tua nobre presença à lembrança
A grandeza da Pátria nos traz
Recebe o afeto que se encerra,
Em nosso peito juvenil,
Querido símbolo da terra
Da amada terra do Brasil!
Em teu seio formoso retratas
Este céu de puríssimo azul
A verdura sem par destas matas,
E o esplendor do Cruzeiro do Sul…
Recebe o afeto…
Contemplando o teu vulto sagrado,
Compreendemos o nosso dever,
E o Brasil por seus filhos amados,
poderoso e feliz há de ser
Recebe o afeto…
Sobre a imensa Nação Brasileira,
Nos momentos de festa ou de dor,
Paira sempre sagrada bandeira
Pavilhão da justiça e do amor.
Recebe o afeto…

19 – HINO NACIONAL BRASILEIRO
Música: Francisco Manuel da Silva
Letra: Joaquim Osório Duque Estrada
Ouviram do Ipiranga às margens plácidas
De um povo heróico o brado retumbante,
E o sol da liberdade, em raios fúlgidos,
Brilhou no céu da Pátria nesse instante.
Se o penhor dessa igualdade
Conseguimos conquistar com braço forte,
Em teu seio ó liberdade,
Desafia o nosso peito a própria morte!
Ó Pátria amada, Idolatrada, Salve! Salve!
Brasil de um sonho intenso, um raio vívido,
De amor e de esperança à terra desce
Se em teu formoso céu risonho e límpido
A imagem do Cruzeiro resplandece.
Gigante pela própria natureza
És belo, és forte, impávido colosso,
E o teu futuro espelha essa grandeza,
Terra adorada!
Entre outras mil
És tu, Brasil,
Ó Pátria amada
Dos filhos deste solo és mãe gentil,
Pátria amada Brasil!

Deitado eternamente em berço esplêndido,
ao som do mar e à luz do céu profundo,
Fulguras, ó Brasil, florão da América,
Iluminado ao sol do Novo Mundo!
Do que a terra mais garrida
Teus risonhos lindos campos tem mais flores,
Nossos bosques tem mais vida
Nossa vida no teu seio mais amores
Ó Pátria amada, Idolatrada, Salve! Salve!
Brasil, de amor eterno seja símbolo
O lábaro que ostentas estrelado,
E diga o verde-louro dessa flâmula
Paz no futuro e glória no passado.
Mas se ergues da justiça a clava forte,
Verás que um filho teu não foge à luta,
Nem teme, quem te adora, a própria morte,
Terra adorada!
Entre outras mil
És tu, Brasil,
Ó Pátria amada
Dos filhos deste solo és mãe gentil
Pátria amada Brasil!

20 – HINO ALERTA
Rataplan do arrebol
Escoteiro vede a luz
Rataplan olhai o Sol
do Brasil que nos conduz
Alerta, ó Escoteiros do Brasil, Alerta
Erguei para o ideal os corações em flor
A mocidade ao Sol da Pátria já desperta
A Pátria consagrai o vosso eterno amor
Por entre densos bosques e vergéis floridos
Ecoem nossas vozes de alegria intensa
E pelos campos fora, em cânticos sentidos,
Ressoe um hino ovante a nossa Pátria imensa.
Alerta! Alerta!
Sempre Alerta!
Um, dois, um dois…
Rataplan do arrebol
Escoteiro vede a luz
Rataplan olhai o Sol
do Brasil que nos conduz
Unido em passo firme a trilha do dever
Tendo o Brasil feliz por nosso escopo e norte
Façamos o futuro em flores antever
A nova geração jovial, confiante e forte
E se algum dia acaso, a Pátria estremecida
de súbito bradar: Alerta, ó Escoteiros!
Alerta! respondemos, à Pátria nossa vida
E as almas entregar iremos prazenteiros.
Alerta! Alerta!
Sempre Alerta!
Um, dois, um dois…
Rataplan do arrebol
Escoteiro vede a luz
Rataplan olhai o Sol
do Brasil que nos conduz

21 – CANÇÃO DA DESPEDIDA DO ELO
O Castor Elo já cresceu
E da Colônia vai partir,
Com o Keeo, amigo seu,
Pela “Margem do Rio” subir.

Adeus meu Castorzinho,
Meu Castorzinho, adeus.
Se lembre de compartilhar
Para um bom Lobo se tornar.

22 – MARGEM DE RIO
Sou Castor, sou Castor
E quero me divertir
Vou formar a margem do rio
Para o dique construir.

23 – AVANÇAM AS PATRULHAS
Avançam as Patrulhas
Lá ao longe, lá ao longe.
Avançam as Patrulhas
Com amor no coração.

Juntos escalemos a montanha altiva,
Juntos escalemos o seu pico azul.
Os falcões, somente, chegam a nossa frente,
Voam majestosos sobre o céu de anil.

Com a mochila aos ombros
Lá ao longe, lá ao longe.
Com a mochila aos ombros
A tropa já partiu.

Juntos escalemos a montanha altiva,
Juntos escalemos o seu pico azul.
Os falcões, somente, chegam a nossa frente,
Voam majestosos sobre o céu de anil.

Se avista o acampamento
Lá ao longe, lá ao longe.
Se avista o acampamento
Por causa do fogão.

Juntos escalemos a montanha altiva,
Juntos escalemos o seu pico azul.
Os falcões, somente, chegam a nossa frente,
Voam majestosos sobre o céu de anil.

24 – STODOLA
Brilha a fogueira aos pés do acampamento
Para alegria não há melhor momento
Velhos amigos não perdem a ocasião
De reunidos cantar essa canção

Stodola Stodola Stodola
Pum-pa Stodola pum-pa Stodola
Stodola Stodola Stodola
Pum-pa Stodola pum-pa-pum-pa-pum

No acampamento que faz o escoteiro
Muito trabalha durante o dia inteiro
Mas quando a noite já trouxe a escuridão
Ascende o fogo e canta essa canção

Stodola Stodola Stodola
Pum-pa Stodola pum-pa Stodola
Stodola Stodola Stodola
Pum-pa Stodola pum-pa-pum-pa-pum
Stódola…

25 – BRAVO
Bra-a-vo bra-a-vo bravo bravíssimo
Bra-a-vo bra-a-vo bravo bravíssimo
Bravo bravíssimo bravo bravíssimo
Bra-a-vo bra-a-vo bravo bravíssimo

Gra-a-to gra-a-to grato gratíssimo
Gra-a-to gra-a-to grato gratíssimo
Grato gratíssimo grato gratíssimo
Gra-a-to gra-a-to grato gratíssimo

26 – OS BURROS
Os burros têm dois pares de patas, um na frente e outro atrás
Só fica atrás do par de trás, quem não sabe o que ela faz.
Ficando atrás do par de trás, aprenderemos para sempre
A ficar atrás do par da frente e na frente do trás.

27 – LOBO, LOBO, LOBO
Eu tomo rumo do meu acampamento De braço dado com meu irmão, Lobo, lobo, lobo
Manhã de sol, paz e calor
E alegria me faz cantar de amor
Oh, Oh
Eu peço a Deus que guarde o acampamento Vou ao trabalho com meu irmão ,Escoteiro
E a tarde invade o céu.
Faz renascer toda a vontade que eu tenho de viver.
Oh, Oh

Ao redor da fogueira o vento soprando parece cantar
Lobo, lobo, lobo
E a noite calada, sem ser convidada, vem me acompanhar
Lobo, lobo, lobo
Do alto da serra eu sinto que a Terra de longe me traz
Com a brisa a lembrança da minha infância, meus tempos de paz.
Num breve adeus eu deixo o acampamento De braço dado com meu irmão ,Pioneiro.
A vida anoiteceu. Resta lembrar Manhãs e tardes que nos fazem chorar.
Oh, Oh
E quando eu for pro eterno acampamento
Eu vou cantando esta canção
Lobo, lobo, lobo
E repetir mais uma vez, pra que eu nunca me esqueça de vocês.

28 – OS ESCOTEIROS
Os Escoteiros vão / vão juntos acampar
Quisera estar também junto deles
Quando saem pra acampar
Turma feliz / e infernal
Oh, quantos são e que gritos dão
Quando saem pra acampar
Eu levo aqui / a flor-de-lis
Eu levo aqui também um ideal
Fazer o bem e ser feliz
enhamos fé l no Criador
Cumprindo a lei seremos bons amigos
E Ele nos dará amor

29 – GOSTO DAS FLORES
Gosto das flores, até do malmequer,
Gosto dos montes e de um vale qualquer,
Gosto dos ventos que cantam para mim.
Guli ali guli ali guli ali guli (2x)
Gosto dos bichos, do besouro ao elefante,
Gosto das árvores de porte exuberante,
Gosto dos rios que cantam para mim.
Guli ali guli ali guli ali guli (2x)
Gosto das coisa que Deus criou na Terra,
Que ele as conserve sempre em paz, sem guerra,
Para que cantem esta canção pra mim,
Guli ali guli ali guli ali guli (2x)

30 – VIVA A COMPANHIA !
Que cada amigo cante uma canção
Viva a Companhia
Alegria e sucesso em cada coração
Viva a Companhia
Viva e viva e viva o amor
Viva e viva e viva o amor!
Viva o amor! Viva o amor
E viva a Companhia
Um amigo à esquerda, outro amigo à direita
Viva a Companhia!
Sejamos unidos a amizade é estreita
31 – TEM MOSQUITO
Tem mosquito, tem mosquito, Tem mosquito neste mato aqui!
Há no meio do mato, num acampamento que era grupal
Levamos as nossas tralhas, aprontamos tudo, ficou legal ,
Fizemos aquela bóia e antes de dormir ajeitamos tudo
Aí veio o ataque: um enxame enorme de borrachudo

Tem mosquito, tem mosquito, Tem mosquito neste mato aqui

Ficamos empelotados, todos inchados, ai ai que dor
O Chefe não reclamava mas ele foi o que mais inchou
Corremos para a cidade e a tralha toda ficou pra trás
Fizemos um juramento: naquele mato não vamos mais

Tem mosquito , tem mosquito tem mosquito nesse mato aqui

32 – DORME CEDO ESCOTEIRO
Dorme cedo escoteiro recupera as energias
Mija na fossa de líquidos faz seu monitor sofrer
Só trabalha quando quer Lava os pratos a chorar
Se já queres desistir pega o sleep e vai dormir

33 – MULHER PERFEITA II
Eu gosto dela não maltrato ela não desfaço dela trato-a muito bem
Fui à capela, me casei com ela só não reparei nos defeitos que ela tem
O que mata ela é uma perna torta e a outra morta por uma congestão
Um olho cego que furou no prego tem um braço seco e só tem uma mão
Só tem uma orelha mas não é defeito, arrancou o peito numa operação
Quebrou a espinha e ficou marreca, ela é careca e só tem um pulmão
Sofreu pneumonia, fraturou costelas, levei até velas, porém não morreu
Desamparada, não tem um parente, não tem uma data, por que não nasceu
Na cara dela tem uma queimadura sofre de loucura e do coração
Bateu um vento entortou-lhe a boca é fanhosa e rouca e não tem dente não
Vocês estão pensando que isso é mentira, que é fantasia ou imaginação
Mas tome cuidado, eu quero respeito, pois não tem mais jeito, é minha paixão

34 – LEITE B
Quando estou sozinho e triste
Vou pra fazenda me satisfazer
Pois lá as vacas jorram Leite B
Na fazenda eu sou mais eu
Lá é que eu vivo pra valer. eu tenho a fonte da vida Leite “B”

Leite “B” (4x) Eu tenho a fonte da vida LEITE “B”

O tempo vai passando
O touro começa a se enfurecer eu sempre lhe ofereço
Leite “B”
Quando as vacas ficam cansadas e eu não agüento mais beber
Volto pra casa cheio de Leite “B”

Leite “B” (4x) Volto pra casa cheio de LEITE “B”

35 – HINO DE LA RUTA
Caminar al mismo paso , camaradas de verdad
Que en la ruta los ruteros encontraron su amistad
Caminante , peregrino , este camino , lo hicieron los profetas
Que vencieron el temos con su cancion
En la noche de tu duda no no temas capitan
Que en tormentas tus veleros solo saben avanzar
Son sencillos los caminos y es tan hondo el caminar
Escondidar en los senderos descubrir la claridad

36 – PURÊ
há muito tempo só comia gordura
Já não agüentava mais comer carne dura
Já não sabia mais o que fazer
Até que um dia eu descobri o purê
É, é, a comer purê, é
A comer purê, é
A comer purê, é ,é ,é ,é
Agora eu sou feliz Como purê até pelo nariz
Purê ao molho pardo
Pra mim…

É o melhor prato
Acordo de manhã com uma tremenda fome
Como purê e então ela some
No almoço é o prato perfeito
Como purê e aí não tem jeito
é, a comer purê, é
A comer purê, é.
A comer purê, é , é, é, é

37 – VALE A PENA
Vale a pena a União, Escoteiro
Vale a pena ter irmãos, Escoteiro
Sempre acompanhados
Sempre de braços dados
Todos num só coração
[Assobio]
Minha Promessa, trago sempre na mente
Minha meta é procurar ajudar
Alianças no Mundo e bons cidadãos
O futuro da Terra está em nossas mãos
Por isso Alerta, Escoteiros do Mundo
O importante é sermos todos um só
A nossa Nação é torre, poderosa e feliz
O Amor está acima de qualquer País.
Por isso Alerta, Escoteiros do Mundo
O importante é sermos todos um só
A nossa Nação é forte, poderosa e feliz
Amor está acima de qualquer país

38 – VOMITARAM EM MIM
Vomitaram em mim…. Laia laia.
Foi macarrão.
Tinha tomate, tinha cebola e pimentão.
Carocinho de feijão.

39 – MOTORISTA NÃO É CAPAZ
Motorista não é capaz de correr a 120
Motorista não é capaz de correr a 120
La vai, la vai, la vai… dos 40 ele não sai
La vai, la vai, la vai… dos 40 ele não sai

40 – PANELAS
No acampamento o nosso tormento é ter que usar panelas
Pois o alimento requer cozimento
e ao fogo vão as panelas
Lá o carvão e a fumaça põem tisnas no caldeirão
E dentro se é macarrão
Fica um grude que não sai não
Foi-se o alimento e chegou o momento de ter que lavar panelas
Negras, sebentas, queimadas, nojentas nas mãos nos dão as panelas
Usa a força, o sabão, mais o sapólio e o esfregão
Toda força, toda força, mas o grude não sai não
Usa-se a faca e areia, e depois de muito esfregar
O alumínio se acaba sem o tisnado grude acabar
Chega a chefia no meio do dia
para inspecionar panelas
E os Escoteiros respondem fagueiros,
não existem mais panelas.

41 – CUIDADO MOTORISTA
Motorista, motorista,
Olha o poste. Olha o poste,
Não é de borracha, não é de borracha,
É de ferro é de ferro

42 – ROCK DO VÔMITO
Eu sei que, sei que só bebo mate
(Sei que só bebo)
quero mingau
(Quero mingau)
Eu não sou fresco pra comer
(pra comer)
Só que às vezes passo mal
(Passo mal)
Não tiro a cara da latrina
(Da latrina)
E o que entrou vai sair
(Vai sair)
E se a comida for ruim então
(Se for ruim)
Não adianta engolir
(Engolir)
UWÉ! UWÉ! UWÉ! UWÉ!
Agora sai debaixo
(Sai debaixo)
Que eu vou vomitar
(Vou vomitar)
Porque o arroz estava papa
(Arroz papa)
Com o Strogo de lata
(Strogo de lata)
UWÉ! UWÉ! UWÉ! UWÉ!

43 – SAUDADE DO AMANHÃ
(Hino do Clã Aba-Tupã/ By Alexandre Daumerié)

Pela , minha honra, Por meu Deus
Pelo meu país, E meus companheiros
Uma só família, Um Clã de Pioneiros
A Saudade do Amanha, O meu clã Aba-Tupã,

Este é o lenço Da minha lágrima, Minha fonte de energia
Esta forquilha Não me deixa cair
Um por Todos E Todos por Um
Servir – Um ! – Servir! br> Nunca teremos Que dizer Adeus Aos nossos sentimentos
Sempre verdadeiros Uma só família, Um Clã de Pioneiros
A saudade do amanhã O meu clã Aba-Tupã

44 – CANÇÃO DO CLÃ
Em uma montanha bem perto do céu se encontra um lago azul
Que só o conhecem aqueles que têm a dita de estar em meu clã
Laiá, lalaiá, lalaiá, Laiá Laiá
Laiá, lalaiá, lalaiá, Laiá Laiá
A sede de riscos que nunca se acaba , as rochas que hei de escalar
O rio tranqüilo que canta e que chora jamais poderei olvidar
No alto da serra na gruta escondida ,foi lá que eu fiz o meu lar
Subindo e descendo com corda ligeira eu vi o meu clã acampar
A noite sentado ao pé da fogueira crepita a alma escoteira
Pioneiros meditam, definem a trilha fazem a sua vigília
O sol nos aponta um caminho de sonho, o vento nos leva a andar
O brilho de vivas estrelas repetem o eco de nosso cantar

45 – FALA BUM DIGA BUM
Fala bum, diga bum…
Fala bum, diga uaca, diga uaca, diga bum…
Hum hum…
Oh! Yes…
Mais uma vez…
Bem rápido…
(Depois como quiser… Alto, baixo. Fino, grosso…)
46 – CANÇÃO DA PROMESSA
Prometo neste dia cumprir a lei , Sou teu escoteiro senhor e rei
Eu te amarei pra sempre cada vez mais, Senhor minha promessa protegerás
Da fé eu sinto orgulho, quero viver, Tal como ensinastes até morrer
Eu te amarei pra sempre cada vez mais…
Com alma apaixonada servi-la-ei, À minha pátria amada fiel serei
Eu te amarei pra sempre cada vez mais…
Promessa que um dia fiz junto a ti, Por toda minha vida a prometi
Eu te amarei pra sempre cada vez mais…

47 – O MAR ESTAVA SERENO
O mar estava sereno, sereno estava o mar.
O mar estava sereno, sereno estava o mar.
Ticabum……
Vamos ver la luna, la luna, la luna
Hei hei….
Vamos ver la luna, la luna, la luna
Hei hei….
Vamos ver la luna, la luna, la lunaaaaaaaaaa
Vamos ver la luna, la luna, la luna é com A.
Cantar só com as vogais então. Até que no U canta-se no final acabou.

48 -TIA MÔNICA
Yo tengo una tia, una tia Mônica
Que cuando vá as compras
Se diga ulala
Asi yo soy sombrero, sombrero es asi
Asi yo soy sombrero, sombrero es asi
Yo tengo una tia, una tia Mônica
Que cuando vá as compras
Se diga ulala
Asi es mi mano, mi mano es asi
Asi es mi mano, mi mano es asi

49 – ÁRVORE DA MONTANHA
A árvore da montanha ô leria ô
A árvore da montanha ô leria ô
Essa árvore tinha um galho, ó que galho, belo galho, ai, ai , ai, que amor de galho.
O galho da árvore.

A árvore da montanha ô leria ô
A árvore da montanha ô leria ô

Esse galho tinha um broto, ó que broto, belo broto, ai, ai , ai, que amor de broto.
O broto do galho, o galho da árvore.

A árvore da montanha ô leria ô
A árvore da montanha ô leria ô

Esse broto tinha uma folha, ó que folha, bela folha, ai, ai , ai, que amor de folha.
A folha do broto, o broto do galho, o galho da árvore.

A árvore da montanha ô leria ô
A árvore da montanha ô leria ô

E assim por diante….
Árvore, galho, broto, folha, ninho, ovo, ave, pena, índio, arco, flexa, árvore….. e começa outra vez.

50 – NO CAMINHO
No caminho eu encontrei um trenzinho… ipu
No caminho eu encontrei um trenzinho … ipu
No caminho eu encontrei, no caminho eu encontrei, no caminho eu encontrei um trenzinho … ipu

Cantando aia, ipi, ipi, aia…. Ipu
Cantando aia, ipi, ipi, aia…. Ipu
Cantando aia, ipi, ipi, aia, ipi, ipi, aia, ipi, ipi, ie…. Ipu

No caminho eu encontrei um porquinho …. Ipu, oin, oin
No caminho eu encontrei um porquinho …. Ipu, oin, oin
No caminho eu encontrei, no caminho eu encontrei, no caminho eu encontrei um porquinho …. Ipu, oin, oin

Cantando aia, ipi, ipi, aia…. Ipu, oin, oin
Cantando aia, ipi, ipi, aia…. Ipu, oin, oin
Cantando aia, ipi, ipi, aia, ipi, ipi, aia, ipi, ipi, ie…. Ipu, oin, oin

No caminho eu encontrei um louquinho …. Ipu, oin, oin, am, am
No caminho eu encontrei um louquinho …. Ipu, oin, oin, am, am
No caminho eu encontrei, no caminho eu encontrei, no caminho eu encontrei um louquinho …. Ipu, oin, oin, am, am

Cantando aia, ipi, ipi, aia…. Ipu, oin, oin, am, am
Cantando aia, ipi, ipi, aia…. Ipu, oin, oin, am, am
Cantando aia, ipi, ipi, aia, ipi, ipi, aia, ipi, ipi, ie Ipu, oin, oin, am,am

51 – NA NORUEGA DISTANTE
Na Noruega distante, começou a canção, cante Cuco uma vez, preste bem atenção.
Xiiiiiiiiiiia oriate iao ia cucu
oriate iao ia cucu
oriate iao ia

Na Noruega distante, continua a canção, cante Cuco duas vez, preste bem atenção.
Xiiiiiiiiiiia oriate iao ia cucu, cucu
oriate iao ia cucu, cucu
oriate iao ia

e assim por diante… até que na ultima canta: Na Noruega distante, terminou a canção…..

52 – JAMBORI PANAMERICANO ( 1981 )
Passo firme, o mateiro,
De mochila a caminhar,
Porque todo o escoteiro,
Tem vontade de acampar,
Essas matas e o céu azul,
Deste Rio Grande do Sul.
Vão unir o escotismo e saudar:
Sempre Alerta ao chegar.
Todos os cantos,
Todas as raças,
Desta América em paz,
Se encontram plantando o
Jambore Panamericano aqui!

53 – 99 KM
99 Km, 99 Km, para um pouquinho, descansa um pouquinho
98 Km, 98 Km, para um pouquinho, descansa um pouquinho
97 Km, 97 Km, para um pouquinho, descansa um pouquinho
96 Km, 96 Km, para um pouquinho, descansa um pouquinho
95 Km, 95 Km, para um pouquinho, descansa um pouquinho
e assim por diante…….

54 – MARIANA
Mariana conta um,
Um conta Marina é um é Ana,
Viva Mariana, viva Mariana
Mariana conta dois,
Dois conta Marina é dois, é um é Ana,
Viva Mariana, viva Mariana
Mariana conta três,
Três conta Marina é três, é dois, é um é Ana,
Viva Mariana, viva Mariana

55 – AJURI
Viemos do norte, do sul e do leste,
viemos do oeste, de todo Brasil.
Das praias, dos papas, Dos campos dos montes e
Dos horizontes de todo Brasil. Das grandes cidades,
Das vilas mais belas, Das casas singelas
De todo Brasil. Mochila nas costas bandeiras ao vento
Para o acampamento de todo o Brasil

O Ajuri Nacional, Do Rio de Janeiro,
É o marco triunfal do ano escoteiro,
Comemoramos o centenário de Baden Powel o fundador,
E do escotismo o cinqüentenário,
Do acampamento da Ilha de Browsea,
Na Ilha do Governador.

Se ele é gaúcho. Você do amazonas,
De baixo da lona são todos irmãos Qualquer cor ou classe,
Qualquer raça ou credo Despertam bem cedo são todos irmãos
Fazendo a comida universitários Peões e operários
São todos irmãos
Nascido em palácio, nascido em favela Lavando a panela, são todos irmãos
O Ajuri Nacional, Do Rio de Janeiro,
É o marco triunfal do ano escoteiro,
Comemoramos o centenário de Baden Powel o fundador,
E do escotismo o cinqüentenário,
Do acampamento da Ilha de Browsea,
Na Ilha do Governador.

56 – LORD BP
Um certo dia, Lord B.P.
Viu em atividade um monte de guris
E teve a idéia, de levar Esses meninos para acampar
Cruzaram matas, rios e campos
Sempre alerta para os encantos
Que a natureza e o criador
Ser sempre honrado Cumprir deveres
Melhor possível vou sempre fazer
Esta promessa Que é feita aqui
Na trilha certa Nós seguiremos B.P.

57 – O TREM
(música: Sing in the Rain)
Eu vou andar de trem / você vai também / só falta comprar a passagem / do velho trem / passagem do velho trem… PAROU! (parou!)
bracinho pra frente! (bracinho pra frente!) / e titiuauaua / e titiuauauau
Eu vou….
bracinho pra frente! (bracinho pra frente!) / dedinho pra cima (dedinho pra cima!) / e titiuauaua / e titiuauauau
Eu vou….
bracinho pra frente! (bracinho pra frente!) / dedinho pra cima (dedinho pra cima!) / joelhinho dobrado! (joelhinho dobrado!) / e titiuauaua / e titiuauauau
Eu vou….
bracinho pra frente! (bracinho pra frente!) / dedinho pra cima (dedinho pra cima!) / joelhinho dobrado! (joelhinho dobrado!) / pezinho pra dentro! (pezinho pra dentro!) / e titiuauaua / e titiuauauau
Eu vou….
bracinho pra frente! (bracinho pra frente!) / dedinho pra cima (dedinho pra cima!) / joelhinho dobrado! (joelhinho dobrado!) / pezinho pra dentro! (pezinho pra dentro!) / bundinha pra trás! (bundinha pra trás!) / e titiuauaua / e titiuauauau
Eu vou….
bracinho pra frente! (bracinho pra frente!) / dedinho pra cima (dedinho pra cima!) / joelhinho dobrado! (joelhinho dobrado!) / pezinho pra dentro! (pezinho pra dentro!) / bundinha pra trás! (bundinha pra trás!) / cabecinha pra cima! (cabecinha pra cima!) / e titiuauaua / e titiuauauau
Eu vou….
bracinho pra frente! (bracinho pra frente!) / dedinho pra cima (dedinho pra cima!) / joelhinho dobrado! (joelhinho dobrado!) / pezinho pra dentro! (pezinho pra dentro!) / bundinha pra trás! (bundinha pra trás!) / cabecinha pra cima! (cabecinha pra cima!) / linguinha pra fora! (linguinha pra fora!) / e titiuauaua / e titiuauauau
(explicação: todos cantam e quando o animador grita “PAROU” todos repetem e param. As palavras entre parênteses significam que primeiro o animador fala e depois os demais repetem. E todos fazendo os gestos.)

58 – CANÇÃO DA ALCATÉIA
(música: Canção do Soldado)
Nós somos de uma alcatéia / de alegres lobos / que não são bobos
O nosso Akelá ensina / ter olho aberto / e ouvido esperto
Andamos pela floresta / no peito e raça / buscando caça
Pois somos de uma alcatéia / de gente esperta / na trilha certa
Nas provas somos campeões / estrelas temos de montões / nos jogos ninguém nos ganha / e fazemos a façanha / de vencer competições
Excursionar / é um prazer / ver o sol a despontar / ver a lua aparecer
Nossa alcatéia / ama o Brasil / a nossa terra / de encantos mil.

59 – A MARCHAR
Se você for caminhando
Ale, ale, oh, ale, ale, oh
Experimente ir cantando
Ale, ale, oh, oê Ale, ale, ale, oh,
ale, ale, oh, oh, ale, ale, oh
Ale, ale, ale, oh, ale, ale, oh, oê

Uma canção e um sorriso
Ale, ale, oh, ale, ale, oh
Esta vida é um paraizo
Ale, ale, oh, oê Ale, ale, ale, oh,
ale, ale, oh, oh, ale, ale, oh
Ale, ale, ale, oh, ale, ale, oh, oê
60 – VALDERÍ
Eu conheço um grande jogo Que aqui vou ensinar
É de novos, é de velhos É bem fácil de jogar
Valderí, Valderá, Valderi, Valderá, há, há, há, há
Valderí, Valderá, É bem fácil de jogar

Tem que ir por um caminho Para então acampar
E em fogueira, chega a noite Vamos joviais estar
Valderí, Valderá, Valderi, Valderá, há, há, há, há
Valderí, Valderá, Vamos joviais estar

Com irmãos assim unidos Não se diz nunca adeus
Porque sempre tem amigos Sob o grande céu de Deus
Valderí, Valderá, Valderi, Valderá, há, há, há, há
Valderí, Valderá, Sob o grande céu de Deus
61 – JOHN JACOB JINGLEHEIMERSCHMIDT
John Jacob Jingleheimerschmidt
Eu me chamo assim / Prá onde quer que eu vá / Todo mundo diz
Lá vai John Jacob Jingleheimerschmidt
Tra, la, la, la, la , la, la, la.
(John Jacob Jingleheimerschmidt é um rapaz tímido e não quer ser notado. O que acontece é que quanto mais tenta passar despercebido mais é notado. Esta canção é cantada muitas vezes, cada repetição com um volume menor excepto o trecho “Lá vai John Jacob Jingleheimerschmidt, tra, la, la, la, la , la, la, la que se repete cada vez mais alto).

62 – BARBAPUM
Lá na Etiopia reinava o Rei Segum, Rei Segum, Rei Segum
Usava u’a grande barba chamavam Barbapum, Barbapum
Barbapum, Barbapum
Barbapum, Barbapum, Barbapum, Barbapum, Barbapum
Lutava na batalha fazendo Pinpanpum, Pinpanpum, Pinpanpum
Ao ve-lo todos gritavam que viva Barbapum, Barbapum
Barbapum, Barbapum
Barbapum, Barbapum, Barbapum, Barbapum, Barbapum
Uma bala inimiga lhe fez Cataplum, Cataplum, Cataplum
E viva a Etiopia e abaixo Barbapum, Barbapum
Barbapum, Barbapum
Barbapum, Barbapum, Barbapum, Barbapum, Barbapum

63 – A FLOR RUBRA
A flor rubla iluminar-nos-á
Lobada dança em derretor
Dançando, lobos, nossa lei cantai
Com o cair do sol

Tú eu somos irmãos
E do mesmo covil
Teu rastro sai junto ao meu rastro
Minha caça é prá tí

De Baloo ouvi sempre as lições
Lobada dança em derredor
Gostosa caça assim conseguirás
Com o cair do sol
(Como dançar:A Alcatéia entra em posição como se fosse executar um Grande Uivo. Na palavra “Lobada”, todos saltam e dançam até “cair do sol”, seguindo o ritmo da música. Chegando a “tú e eu somos irmãos”, todos param e ficam aos pares, um de frente para o outro; em seguida, todos se voltam para o centro e cantam a partir de “e do mesmo covil”, até o final da primeira estrofe. Ao começar à segunda estrofe, reassumem todos a posição do Grande Uivo, levantando-se e dançam ao cantar a palavra “Lobada”, voltam-se para o centro em “tú e eu somos irmãos” e assim terminam o canto.)

64 – SENHOR CAPITÃO
Bam bam bam lam lam
Senhor capitão, tirai esse peso do meu coração
Não é de tristeza, não é de aflição
É só de esperança…
Senhor capitão
Alegre esperança, aérea esperança
Aérea pois não
Peso mais pesado, não existe não
Ai livrai-me dele…
Senhor capitão.

65 – TODOS JUNTOS
todos juntos estamos reunidos outra vez
todos juntos estamos reunidos outra vez
e quem saberá quando juntos estaremos
todos juntos estaremos reunidos outra vez

66 – KUMBAIÁ
kumbaiá senhor, kumbaiá oh senhor kumbaiá (3 vezes)
alguém canta aqui, kumbaiá
alguém chora aqui, kumbaiá
alguém rí aqui, kumbaiá
alguém reza aqui, kumbaiá

67 – CANÇÃO DO T
Texto em preto: UM
Texto em azul: TODOS

Um, dois, três, quatro,
Quatro, três, dois, um!
Nossa Tropa Escoteira,
A melhor da Região!
Somos bons no futebol,
E também na instrução!
Joguei meu chapéu para cima!
Pra ver onde ele caía!
Joguei meu chapéu para cima!
Pra ver onde ele caía!
Caiu no colo da velha!
Cruz Credo Ave-Maria!
Caiu no colo da velha!
Cruz Credo Ave-Maria!
Voltei a jogar meu chapéu!
Pra ver onde ele caía!
Voltei a jogar meu chapéu!
Pra ver onde ele caía!
Caiu no colo da moça!
Era isso que eu queria!
Caiu no colo da moça!
Era isso que eu queria!
Todo homem é um diabo!
Não há mulher que o negue!
Todo homem é um diabo!
Não há mulher que o negue!
Mas todas elas desejam,
Que o diabo as carregue!
Mas todas elas desejam,
Que o diabo as carregue!
Chamaram o Chefe de burro!
O Chefe não se importou!
Chamaram o Chefe de burro!
O Chefe não se importou!
Chamaram o burro de Chefe!
O burro se enfezou!
Chamaram o burro de Chefe!
O burro se enfezou!

68 – ELEFANTÃO
Olhando sem cessar o mundo que está lá
um grande animal de bicicleta vai
é um elefantão que pensa que ele tem
uma tromba bem na frente e um rabinho bem atras
69 – DANÇA DO LOBINHO
A flor rubra iluminar-nos-á
Lobada dança em derredor
Dançando ,lobos, nossa lei cantai
Até o cair do sol
Tu e eu somos irmãos
E do mesmo covil
Teu rastro sai junto ao meu rastro
Minha caça é pra ti
De Baloo ouvi sempre as lições
Lobada dança em derredor
Gostosa caça assim conseguirás
Com o cair do sol
Tu e eu somos irmãos
E do mesmo covil
Teu rastro sai junto ao meu rastro
Minha caça é pra ti

70 – NA MONTANHA DA FLORESTA EQUATORIAL
Na montanha da floresta equatorial (bate-se o pé)
Na montanha da floresta equatorial (bate-se o pé)
Na montanha da floresta, / Na montanha da floresta,
Na montanha da floresta equatorial (palmas)
SIRIAIA IUPI IUPI AIA / SIRIAIA IUPI IUPI AIA,
SIRIAIA IUPI IUPI AIA / IUPI IUPI AIA, IUPI IUPI O
Companheiros vamos a caça do leão (bate-se o pé)
Companheiros vamos a caça do leão (bate-se o pé)
Companheiros vamos a caça / Companheiros vamos a caça,
Companheiros vamos a caça do leão (gesto de caçada)
SIRIAIA IUPI IUPI AIA,…..
O leão está dormindo na caverna(bate-se o pé)
O leão está dormindo na caverna(bate-se o pé)
O leão está dormindo / O leão está dormindo
O leão está dormindo na caverna (gesto de dormir) …
SIRIAIA IUPI IUPI AIA,…..
Se descuidas te devora com um bocão
Se descuidas te devora com um bocão
Se descuidas te devora / Se descuidas te devora
Se descuidas te devora com um bocão (gesto de devorar) …
SIRIAIA IUPI IUPI AIA,…..
E portanto a cautela é muito pouca
E portanto a cautela é muito pouca
E portanto a cautela / E portanto a cautela
E portanto a cautela é muito pouca (gesto de silêncio) …

71 – VIVE LA COMPANY
Texto em preto: UM
Texto em azul: TODOS

Feliz mocidade que vive a cantar
Vive la company
Reparte com todos seu gozo sem par
Vive la company
Vive la vive, la vive l’amor
Vive la vive, la vive l’amor
Vive l’amor, Vive l’amor
Vive la company
Feliz mocidade que vive a cantar
Vive la company
Estuda, trabalha e ama também
Vive la company
Vive la vive, la vive l’amor
Vive la vive, la vive l’amor
Vive l’amor, Vive l’amor
Vive la company

72 – Dois Irmãos
Quando, nos conhecemos a pouco tempo
Sabia pouco tempo
Que você me viu
Que você sentiu amigo.

Hoje, eu te vejo a caminhar
Na trilha que você
Escolheu para seguir,
Escolheu para viver,
Amigo.
Refrão: Leve um sorriso na memória, meu irmão
Olhe pro lado e sentirás um coração
Sorriso franco te desejo
Meu amigo, meu irmão.

Mesmo, nesta distância a separar
Na insistência eu vou voltar
Se você chorar
É que então lembrou do amigo.
(Refrão)

73 – PIABA
Sai, sai, sai, piaba – saia da lagoa (Bis)
Põe a mão na cabeça – outra mão na cintura
Dá uma voltinha no corpo / E aponta outro

74 – GATITOS
Eu tinha uma gatita, eu tinha uma gatita,
Que ela era ética, pelética, pelimplimplética,
Pelada, peluda, pelimplimpluda.

Casou-se com um gatito, casou-se com um gatito,
Que ele era ético, pelético, pelimplimplético,
Pelado, peludo, pelimplimpludo.

Tiveram dois gatitos, tiveram dois gatitos,
Que eles eram éticos, peléticos, pelimplimpléticos,
Pelados, peludos, pelimplimpludos.

Formaram uma família, formaram uma família,
Que ela era ética, pelética, pelimplimplética,
Pelada, peluda, pelimplimpluda.

75 – BARRACA
Armei a minha barraca O mosquito nela entrou,
O danado do mosquito Em minha orelha então pousou
Peguei o meu sapato O mosquito se arrancou,
Minha orelha então inchou.
Glória, glória aleluia, Glória, glória aleluia,
Glória, glória aleluia. Vamos todos acampar.
76 – HUM, HUM
hum, hum, quero ficar aqui
hum, hum, mais um pouquinho só,
hum, hum, mais um pouquinho com você.
hum, hum
hum, hum, a noite vem eu sei,
hum, hum, não quero crer que vou,
hum, hum, para bem longe de você.
hum, hum
hum, hum, por isso eu canto assim,
hum, hum, para alegrar o adeus,
hum, hum, nossa amizade não tem fim.
hum, hum
hum, hum, uma grande amizade,
hum, hum, conosco se formou,
hum, hum, e para sempre a de ficar.
hum, hum.

77 – BARQUINHA DE NOÉ
a barquinha de noé ei vamos navegar
sete anos navegou ei vamos navegar
num balanço ela deu ei vamos navegar
bateu na pedra e afundou ei vamos navegar

78 – C’EST LE PISTON
c’est le piston c’est le piston
que fait move la machine
c’est le piston c’est le piston
que fait move le vagon
piston, piston
que fait move la machine
piston, piston
que fait move le vagon
c’est le piston c’est le piston

79 – COMPANHEIROS SÃO BEM VINDOS
companheiros são bem vindos
irmãmente reunam-se co’a gente
venha todos e cantemos
e cantemos e cantemos
venham todos e cantemos,
logo vem o adeus.
companheiros são bem vindos
na clareira em volta da fogueira
venham todos e cantemos
e cantemos e cantemos
venham todos e cantemos,
logo vem o adeus.

80 – Cantando Hally Gally
eu ponho a mão direita dentro
eu ponho a mão direita fora
eu ponho a mão direita dentro
e sacudo ela agora
e canto hally gally
assim é bem melhor
eu ponho a mão esquerda dentro
eu ponho o pé direito dentro
eu ponho o pé esquerdo
eu ponho a cabeça dentro
eu ponho corpo dentro

81 – TIRIAOIA, TIRIAOIA CUCO, CUCO
oia tiriaoia cuco cuco / oia tiriaoia. / don din don dá /
don din don din / don din don din / don din don din
don din don din / don dá
quero que você me diga quantos dentes tem preá
quantos dentes tem preá don din don din don dá

dois em cima dois embaixo são danados prá furar
são danados prá furar don din don din don dá

dei um pulo lá no céu trouxe um raio prá brincá
trouxe um raio prá brincá don din don din don dá
atravessei o são francisco numa linha de pescar
numa linha de pescar don din don din don dá

quem não tem chocolateira não toma café nem chá
não toma café nem chá don din don din don dá / há há há há

82 – LA VACA ES UN ANIMAL
lá vaca es un animal :
toda forrada de cuero : (bis 3 vezes)
tiene las patas, patas tan largas :
que llegan al suelo : ponti, poronti
ponti, ponti, ponti, poronti
zinhá nhá huê oh huê,
zinha nhá huê zinha nhá huê
zinhá nhá zinhá nhá
oh huê, zinha nhá huê
zinha nhá huê zinhá nhá
zinhá nhá

83 – LOS TRES ALPINOS
eram três alpinos que veniram de la guerra
eram tres alpinos que veniram de la guerra
ai ai ai y rataplan, que veniram de la guerra

el mas tiquito, traia un ramo de flores
el mas tiquito, traia un ramo de flores
ai ai ai y rataplan, traia un ramo de flores

e la princesa que estaba en la ventana
e la princesa que estaba en la ventana
ai ai ai y rataplan, estaba en la ventana

oh mi belo alpino dame estas lindas flores
oh mi belo alpino dame estas lindas flores
ai ai ai y rataplan, dame estas lindas flores

yo te darê se te casar comigo
yo te darê se te casar comigo
ai ai ai y rataplan, se te casar comigo

vá a mi padre e pede la mi mano
vá a mi padre e pede la mi mano
ai ai ai y rataplan, e pede la mi mano

oh ! mi bom rei me caso com su hija
oh ! mi bom rei me caso com su hija
ai ai ai y rataplan, me caso com su hija

vá tê daqui se non te fuzilato
vá tê daqui se non te fuzilato
ai ai ai y rataplan, se non te fuzilato

e no outro dia morria um alpinito
e no outro dia morria um alpinito
ai ai ai y rataplan, morria um alpinito

e la princesa por si moriô de pena
e la princesa por si moriô de pena
ai ai ai y rataplan, si moriô de pena

el viejo rei se fue morir na china
el viejo rei se fue morir na china
ai ai ai y rataplan, se fue morir na china

en nel tercero dia los tres ressucitaram
en nel tercero dia los tres ressucitaram
ai ai ai y rataplan, los tres ressucitaram

en algun tiempo nasciô un alpinito
en algun tiempo nasciô un alpinit
ai ai ai y rataplan, nasciô un alpinito

e essa es la historia da bela raça alpina
e essa es la historia da bela raça alpina
ai ai ai y rataplan, da bela raça alpina

84 – OH SARÍ MARÉ
oh sarí maré, velho amigo do passado em mim tua lembrança vive
o amor é mais forte que o vento e que a luz que pode deixar de existir.
eu quero voltar ao meu bom transvaal, belo lugar de sonhos
dos vento perfumado, dos bosques de verdorn que sempre nos falam de amor
o vento perfumado, nos bosques de verdor que sempre nos falam de amor

85 – ORAME SAME SAME
orame, same, same
orame, same, same,
guli guli guli guli
guli orame, same, same
orame, orame,
guli, guli, guli, guli, guli, guli,
orame same same.

86 – PARA SER LOBINHO

para ser lobinho é preciso ter
uniforme azul e um bonezinho
é viver agarrado na saia da kaa
e também do akelá
há um mundo bem melhor todo feito prá vocês
é o mundo escoteiro que o Baden fez

87 – PERIQUITO
Periquito, periquito, parece um papagaio
Periquito, periquito, parece um papagaio
Por baixo / Por cima / pela frente / Por trás
( Fazendo os movimentos com os polegares)

88 – QUANDO SE QUER O FRIO ESPANTAR
quando quer o frio espantar põe-se os cavalos todos a trotar
cavalos trotando, 1 pata
quando quer o frio espantar põe-se os cavalos todos a trotar
cavalos trotando, 1 pata, 2 patas
quando quer o frio espantar põe-se os cavalos todos a trotar
cavalos trotando, 1 pata, 2 patas, 3 patas
quando quer o frio espantar põe-se os cavalos todos a trotar
cavalos trotando, 1 pata, 2 patas, 3 patas, 4 patas
quando quer o frio espantar põe-se os cavalos todos a trotar
cavalos trotando, 1 pata, 2 patas, 3 patas, 4 patas, a cabeça
quando quer o frio espantar põe-se os cavalos todos a trotar
cavalos trotando, 1 pata, 2 patas, 3 patas, 4 patas, a cabeça, o corpo.

89 – CANÇÃO DO ESCALADOR
um senhor de boné entrou na chaminé
parecendo escalar… escalar
mas o tempo passou e o senhor do boné
não saiu, não saiu do lugar.

90 – A LEI
nossa lei tem cinco artigos cada qual bem definido
deve levá-los a sério todo bom e fiel lobinho
o lobinho ouve sempre bem atento os velhos lobos
abre os olhos e o ouvidos pensa primeiro nos outros
ele é limpo e alegre gosta sempre da verdade
é honesto e companheiro nunca é falso ou covarde.
91 – ESCOTEIROS CATARINENSES
mochila nas costas, bandeiras ao vento!
toca a marchar! a explorar! a caminhar!
mochila nas costas, bandeiras ao vento!
toca a marchar! a caminhar!!!
nós somos catarinas, sempre leais, disciplinados!
nós somos catarinas, barriga verde de valor, hei!!
nos campos de giwell eu vou voltar a acampar
com todos, os meus amigos! e junto ao fogo poder cantar
nos campos lá em giwell! eu vou voltar, de mochila e cantil a acampar
com o peito transbordando de alegria e os meus amigos!
e junto da fogueira nossas vozes reunidas!
mil canções cantar nos campos lá em giwell!

92 – ESCOTEIRO DO FUTURO
refrão (2x):
zum, zum, zum, não tem foguete eu vou a pe.
acampamento do futuro, vai ser muito diferente.
a gente aperta um botão, robô faz tudo para a gente.
imaginem só o plano, do chefe da região.
acampamento em Saturno, com a taxa de um trilhão.
refrão
escoteiros do futuro, não serão mais como antes.
na caixinha de socorros, instrumentos de transplante.
imaginem só o plano, do chefe da região.
acampamento em Saturno, com a taxa de um trilhão.

93 – OH QUE FELIZ
Oh que feliz que me sinto hoy
despues de hacer una buena accion
yo cumprire my promessa y lei
y ajudare al pobre e al rei
observare en el cielo azul
la crua del sur ya la seguire. .(2x)
94 – O LEPRECHAUNS DA FLORESTA
eu sou um leprechauns da floresta!
pra mim todo dia é uma festa!
e no acampamento, é só divertimento
porque eu sou um leprechauns da floresta!
eu dou um pulinho pra lá, hei!
eu dou um pulinho pra cá, hei!
entre muitas pitorescas vou brincando de pegar!

95 – UM MAR BRANCO
um mar branco, de homens trabalhando!
todo dia, colhendo algodão! (bis)
oôôôôô – homens trabalhando,
oôôôôô – colhendo algodão!
oôôôôô – o sol está nascendo,
oôôôôô – o sol já se foi!

96 – ACAMPEI LÁ NA MONTANHA:
acampei lá na montanha, de manhã fiz meu café,
arrumei minha mochila, e toquei pra frente a pé
refrão: como é bom viver acampando assim,
ver o sol no horizonte nascer,
todos devem ter um grande ideal,
e por ele lutar e vencer acampei num lindo bosque
e já era escuridão acendi uma fogueira,
e cantei esta canção
(refrão)

97 – VIAGEM
eu vim de longe para encontrar o meu caminho
tinha um sorriso, e o sorriso ainda valia
achei difícil a viagem até aqui
mas eu cheguei, mas eu cheguei.
eu vim depressa, eu não vim de caminhão
eu vim a jato neste asfalto e nesse chão
achei difícil a viagem até aqui
mas eu cheguei, mas eu cheguei.
eu vim por causa daquilo que não se vê
vim nu, descalço, sem dinheiro e o pior
achei difícil a viagem até aqui
mas eu cheguei, mas eu cheguei.
eu tive ajuda de quem você não acredita
tive a esperança de chegar até aqui
vim caminhando, aqui estou, me decidi
Eu vou ficar, eu vou ficar

98- ACENDA ESTA FOGUEIRA
Acenda fogo, acenda; Acenda esta fogueira; (Bis)
Aqueça minha tenda; Ilumine esta clareira!
Pelo símbolo vermelho; A fogueira nos faz irmãos; (Bis)
Neste fogo de conselho; Vamos todos dar as mãos!

99 – Alerta
Alerta!
Uma voz vamos ouvir, com atenção;
A um chamado, um apelo, uma canção;
A nos falar do nosso grande ideal;
Vamos ouvir.
Desperte e lute por todo o sei vigor;
Somos irmãos e queremos nos unir;
A Flor de Liz é a seguir;
O nosso rumo a seguir.
É vida, aventura; Somos irmãos;
Alerta!

100 – CAMINHO PIONEIRO
(no rítimo de “É por você que canto”)
Meu caminho é aqui Meu destino é seguir
Nesta vida que eu escolhi e, então
Com o Escotismo no meu coração,
Vou servir Meu irmão
Com amor Verdadeiro
Eu sou Pioneiro, Eu sou Pioneiro

O escotismo é pra mim
A razão da vida e, assim,
O meu Clã melhor eu vou deixar
Como todo lugar que eu passar
E assim Vou cumprir
Meu ideal Escoteiro
Eu sou Pioneiro, Eu sou Pioneiro
101 – EU SOU UM MUSICANTE
Eu sou um musicante
Tu és um farsante
Eu toco zabumba
Como se toca zabumba?
Zumba, zumba, zumba zá
Zumba, zumba, zumba zá
Zumba, zumba, zumba zá

Eu sou um musicante
Tu és um farsante
Eu toco piano-la
Como se toca piano-la?
Piano, piano, piano-la
Piano, piano, piano-la
Piano, piano, piano-la

Piano – Violino – Corneta – Flautinha

102 – A ORQUESTRA
Fiz um teste musical
Numa grande orquestra (Todos)
Tinha zabumba
Tinha zabumba (Todos)
Zumba, zumba, zumba zá

Piano – Violino – Corneta – Flautinha

103 – O MARRECO
Eu tenho um marreco lá em casa
que me ensinou a dançar
Um pulinho prá lá
Um pulinho prá cá
Um bamboleio – bate as asas
E tcha tcha tcha coen coen (Bis)

O meu marreco eu não vendo
não empresto e não dou
Um pulinho prá lá
Um pulinho prá cá
Um bamboleio – bate as asas
E tcha tcha tcha coen coen (Bis)

104 – A GALINHA E O PATO
Uma galinha e um pato (Repetem)
Os dois entraram (Repetem)
Em um sapato velho (Repetem)
Uaua tipi…
Branco e sujo
Com bolinha amarelinha
Com fitinha azul
Com a sola furada
E mais ninguém usava

105 – A COBRA
… Eu vim te perguntar
Como é que a cobra sobe
Num pezinho de limão
A cobra não tem pé
A cobra não tem mão
Estica, encolhe
Seu corpo é todo mole (Bis)
106 – CANÇÃO DAS PIPOCAS
Uma pipoca pulando na panela
E uma outra vai com ela conversar
E é um tal de tremendo falatório
Que ninguém consegue escutar
E é um tal de ploc ploc ploc
Ploc ploc ploc
Ploc ploc ploc
2 – 3 – 4 – 5

107 – O Relógio da vovó
O relógio da vovó – tic tac tic tac
Lá na sala vive só – tic tac tic tac
E trabalha mesmo assim tic tac tic tac<
Tá cansado que dá dó tic tac tic tac

108 - Ao marchar
Ao andar, vou cantar ale ale o (Bis)
Ao andar, vou cantar ale ale o ai ooo
Ale ale ale o ei (Estribilho)
Ao marchar - ao pular

109 – O SENHOR TEM MUITOS FILHOS
O senhor tem muitos filhos
Muitos filhos ele tem
Eu sou um deles, você também
Louvemos ao senhor - braço direito
Braço esquerdo - perna direita - perna esquerda

110 - BONECO DE LATA
O meu boneco de lata
Bateu a cabeça no chão
Levou mais de uma hora
Prá fazer a operação
Desamassa aqui e ele ficou bom
Nariz - Queixo - Mão - Cotovelo - Joelho
2 - 3 - 4 - 5 - 6 - 7

111 - JACARÉ BOIOU
Eu sou, eu sou, eu sou
Eu sou jacaré boiou (Bis)
Balança o rabo jacaré
Balança o rabo jacaré
Balança o rabo jacaré boiou
Repete

112 - CANÇÃO DO SUCO, SUCO
Vamos todos aprender a canção do suco suco
Suco, suco, suco, suco (Bis)
Patrulha - Mulheres - Homens - Óculos
Boné - Sapatos pretos - Relógio - Gordinhos - Magrelos - etc...

113 - O FEIOSO
Bem feioso foi aquele
Que meu benzinho levou
Mas eu vou buscar um outro
Para ser o meu amor
Feioso tra la la
Feioso tra la la

114 - O PAI PATO
Lá vem o pai pato
Patinho! (Todos)
Lá vem mamãe pata
Patinho! (Todos)
Lá vem os patinhos
Patinho patinho patinho
Cuidado pra não pisar ei
Patinho patinho patinho
Se pisar pode matar ei

115 - URINOR
Não há Coisa mior, do que sentar no urinor
Não há coisa mior, do que sentar no urinor
A gente senta na beirada do pinico,
Parecendo gente rico, com vontade de cantar....
A gente canta, cata fino, canta grosso
Estica as veia do pescoço pra poder cantar mior...

116 - Tchei, tchei, colê
Tchei, tchei, colê (repete)
Tchei, cô, liza (repete)
Liza, liza liza, mantê (repete)
Amandaquê (repete)
Iiiiiiiiiiiiiaaaaaaaaa (repete)
Aaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiaaaaa (repete) > gritos de artes marciais, com direito a gestos.
Ruuuuuuuuuooooooooo (repete)
Piri, piri, piripi, piripipi (todos cantam musica da Gretin)

117 – AS BABULETAS
Nois semos as babuletas, de asa branca e rabo preto
Vuemos, em vorta das lampidas
Batemos asas e espludemos.
Quem nois semos?
Nois semos as babuletas, de asa branca e rabo preto
Vuemos, em vorta das lampidas
Batemos asas e espludemos.
Quem nois semos?

A musica começa bem baixinho e de vagar, a media que se vai perguntando: “Quem nois semos?”, aumenta-se o tom das voz e a asseleraçào da musica…..quando enjoar, troca-se a pergunta por: “E nois morremos”.

118 – Do nordeste distante
Do nordeste distante, veio esta canção,
Diga oxente uma vez, preste bem a atenção.
Cabra da peste, bichinho da gota, oxente
Do nordeste distante, continua a canção.
Diga oxente duas vezes, preste bem a atenção.
Cabra da peste, bichinho da gota, oxente, oxente…

19 – LARANJA, Ô LARANJA
Laranja, ô laranja, deixa o suco amarelo.
Laranja, ô laranja, deixa o suco amarelo.
Deixa o par e troca par, Meu amor ah! que eu caquero,
Deixa o par e troca par, Meu amor ah! que eu caquero,
Meu amor ah! que eu caquero.
Meu amor ah! que eu caqueria.
Meu amor ah! que eu caquero.
Meu amor ah! que eu caqueria. Não me sai do pensamento.
Nem de noite nem de dia.
Não me sai do pensamento.
Nem de noite nem de dia.

120 – CASA DO ZÉ
Para entrar na casa do Zé.
Tem que bater palma.
Para entrar na casa do Zé.
Tem que bater palma.
- Prá que?
Para entrar na Casa do Zé.
E, e, e, à, agora já posso entrar.
{ Pé, Estralar os dedos, gritar,…}

121 – DANÇA ORIENTAL
O iupo, iá, iá, eiá.
O iupo, iá, iá, eiá.
O iupo, iá, iá, iupo.
Ituske, ituske, iupo.
Ituske, ituske, eiá.

122 – Minuê
Minuê, Minuê. Le gusta lá dance
Le gusta lá dance La dança minuê.
Minuê, Minuê. Le gusta lá dance
Le gusta lá dance La dança minuê.

123 – SEU MATIAS
(Chefe) Você conhece Seu Matias.
o rapaz que o trem pegou?
(resposta) Não Senhor, não conhecemos,
mais queremos conhecer.
Coitadinho do Matias,
Que pegou uma pneumonia.
E ficou com o braço assim,
Tchacá, tchacá, tchacá, tchacá.
{cabeça, perna, língua, bumbum}

124 – O CÃO E O COZINHEIRO
O cão foi à cozinha,
é um prato ele quebrou.
O cozinheiro viu o cão.
E o cão ele matou.
Vieram duas galinhas, e enterrarão o cão,
Na sua sepultura, a seguinte inscrição,
Aqui jaz o cão que o cozinheiro matou
Sabe porque ele fez isso?
Foi o prato que o cão quebrou.

125 – PAI JACÓ
Pai Jaco é um crente, que vem do oriente,
Do poderoso Alá.
Que vende bolinhos quentes
no mercado em Bagdá.
Se ao invés de bolinhos,
ele vendesse, pãezinhos.
Ganharia muito mais.
Ficaria riquinho e veria para cá.
Lá, lá, lá ,lá, lá,
Lá, lá, lá ,lá, lá.

126 – A ESTRADA
Lá na estrada em curva
fez um furo no pneu.
Lá na estrada em curva
fez um furo no pneu.
Lá na estrada em curva
fez um furo no pneu.
Concertamos com chiclete.

127 – O SAPO
O que coisa boa,
A gente ver o sapo,
Na beira da lagoa,
Batendo com o papo.

Foi, foi, não foi;
Foi, não foi;
Foi, foi, não foi.

128 – NÓS VAMOS DANÇAR O BILU
Nós vamos dançar o Bilu
Bilu nós vamos dançar.
Nós vamos dançar o Bilu
Bilu nós vamos dançar.

Põe a mão para frente
Põe a mão para trás
Basta mexer um pouquinho, pouquinho,
E uma volta mais.
pé, cabeça,, bumbum, língua…

129 – ACABAR COM ABORRECIMENTO
Para acabar com o aborrecimento
Vamos fazer um simples movimento.
Para acabar com o aborrecimento
Vamos fazer um simples movimento.
- com a mão,
- com a mão, com a outra.
- com a mão, com a outra, com o pé…

130 – PEZINHOS
Ai bota aqui, ai bota ali,
O seu pezinho.<
O seu pezinho bem juntinho<
Com o meu.
E depois não vai dizer,<
Que você já me esqueceu
E no chegar desse seu corpo,
Um abraço quero eu.
Agora que estamos juntinho,
Dê cá um abraço e um beijinho.

131 - VOU ENSINAR A LETRA.
Vou ensinar a letra. Vou ensinar a letra.
Vou ensinar a letra. Vou ensinar a letra.

Presta atenção na letra. Presta atenção na letra.
Presta atenção na letra. Presta atenção na letra.

Pé de cana, caneta
Pé de bucha, bochecha
No samba da Tiririca, pimenta, pipoca, pitanga e pipa

Eu vou cobrar a letra. Eu vou cobrar a letra.
Eu vou cobrar a letra.Eu vou cobrar a letra.

Pé de cana, caneta
Pé de bucha, bochecha
No samba da Tiririca, pimenta, pipoca, pitanga e pipa

Ele já sabe a letra.Ele já sabe a letra.
Ele já sabe a letra.Ele já sabe a letra.

Pé de cana, caneta
Pé de bucha, bochecha
No samba da Tiririca, pimenta, pipoca, pitanga e pipa

132 - DANÇA DO BUM TCHAKARACA
O ice de o Vou dançar a dança do bumbum
O ice de, ice de, ice de.
Vou dançar a dança do bumbum
Eu ponho a mão no ombro e a outra na cintura
vou dançar e ninguém segura
Eu ponho a mão no joelho e vou descendo até o pezinho
rebolando devagarinho
Com um passo para o lado eu melhoro o requebrado
vou dançar de bumbum colado
Barriguinha para dentro o bumbum para fora
quero ver você dançar agora

133 – AS FORMIGAS
Formigas marcham de uma em uma horra, horra
Formigas marcham de uma em uma horra, horra
Elas marcham assim, a primeira para e chupa o dedão
E continuam marchando assim, para baixo no buraca<
Longe da chuva, dentro do chão, hum – hum, hum – hum
Formigas marcham de duas em duas em duas horra, horra

134 – LA PACHAMGA
Se queres dançar la pachanga, ui
Se queres dançar la pachanga, ui
Se queres dançar la pachan - gaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
La pachanga se dança assim.
Os pezinhos se movem assim,
Assim, assim, assim, assim, assim, aiiii
Se queres dançar la pachanga, ui
Se queres dançar la pachanga, ui
Se queres dançar la pachan - gaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
La pachanga se dança assim.
A perninha se movem assim,
Assim, assim, assim, assim, assim, aiiii
Cintura, ombros, braços pescoços, cabeça, o corpo todo

135 - A Casinha
Eu tenho uma casinha... Assim, assim
Que solta fumacinha... Assim, assim
Eu bato na portinha... Assim, assim
Eu lustro o sapatinho... Assim, assim

136 - Em Silêncio Acampamento
Em silêncio acampamento,
Este canto vinde ouvir,
São fagulhas da fogueira
que nos dizem: Escoteiros a servir!
(REPETE)
(Tente em 2, 3, até 4 vozes
137 - Nós Teremos Paz
(folclore Judeu)
Hevenu shalom aleichem
Hevenu shalom aleichem
Hevenu shalom aleichem
Hevenu shalom, shalom aleichem
Repetir, a cada vez
aumentando o ritmo.

138 - Zinhanha
(folclore do Alto-Xingú)
Awê, zinhânha awê, zinhânha awê, zinhânha awê.
Awê, zinhânha awê, zinhânha awê, zinhânha, zinhânha.
DANÇA:
bater as mãos no peito e nas pernas,
idem, porém andando para o lado,
batendo as mãos nas cabeças ao lado,
batendo palmas c/as pessoas ao lado,
batendo palmas egípcias (cruzadas),
batendo nas pernas das pessoas ao lado, alternadamente,
bater nas canelas alternadamente,
bater nos pés alternadamente,
volta ao começo e... FIM!

139 - O espírito da coruja
O espírito da coruja
certamente mora aqui,
O espírito da coruja
certamente mora aqui,
O espírito da coruja
certamente mora aqui.
Certamente mora aqui!

tui-tui-tui-tui-tui-tá,
tui-tui-tui-tui-tui-tá,
tui-tui-tui-tui-tui-tá,
tui-tá-tui-tá-tá-tá.

140 - Canção Alemã
Volkswagen, Volkswagen,
Volkswagen, Telefunken,
Telefunken, Brahma chopp,
Chucrute, Salsicha!

Volkswagen, Volkswagen,
Volkswagen, Telefunken,
Telefunken, Brahma chopp,
Salsicha ah-ah-ah!
(Nesse momento deve entrar uma bandinha de sons improvisados e todos repetem a canção.)

141- Vai Macarrão
Vai macarrão, pendurado na goela,
com tua cor amarela,
que horrível, que tu és...
Macarrão de Zinco !
Tradição de escoteiro,
tu tens cheiro... de banheiro !
Com essa massa amarela,
colada na panela, só a fossa...
tu mereces... Macarrão de Zinco !

142 - BINGO
Havia um lobinho
que tinha um cão
que se chamava BINGO.
(REPETE)
B.I.N.G.O.,
B.I.N.G.O.,
B.I.N.G.O.,
BINGO era o seu nome.

Havia um lobinho
que tinha um cão
que se chamava BINGO.
(REPETE)
B.I.N.G.-.,
B.I.N.G.-.,
B.I.N.G.-.,
BINGO era o seu nome.
(Segue assim até sumir o nome)

143- Oh, Deus foi bom pra mim
Oh, Deus foi bom pra mim,
me fez feliz assim,
deu-me tanta bendição
o sol, a chuva e a plantação.

Oh, Deus foi bom pra mim,
e eu nem sei porquê,
nem sei como explicar
só sei que Deus me deu
a terra pra eu cultivar.

Oh, Deus foi bom pra mim,
trabalho até o anoitecer
para as minhas maças
desde o sol nascer
em todas as manhas

Oh, Deus foi bom pra mim,
ele me faz feliz assim,
por isso estou sempre a cantar
pois sei que nada vai me
faltar.

Oh, Deus foi bom pra mim!

144 - Quebra Cocô
Quebra cocô, quebra cocô,
na ladeira do piá
Escoteiro quebra cocô
e depois vai trabalhar.

Eu subi o Pão de Açúcar
pendurado num barbante
tudo isso eu fiz sozinho
pra salvar uma bandeirante.
(Repete-se o refrão, alguém improvisa uma quadrinha e o ciclo continua até não haverem mais rimas.

145 - Lá no alto daquele monte
Lá no alto daquele monte
mora uma velha águia
que já está tão velhinha
que parece uma galinha

Lá no alto daquele monte
mora um velho Leão
que depois de aposentado
ficou até desdentado

Lá no alto daquele monte
mora uma velha Pantera
que tem tanto reumatismo
que só anda na primavera

Lá no alto daquele monte
mora uma velha Cascavel
que de tanto chacoalhar o gizo
já não tem mais nenhum anel

146 - Boa noite Patrulhas !
Boa noite (patrulha),
Boa noite (patrulha),
Boa noite (patrulha)...
Que agora vamos dormir.
Bem alegres vamos indo,
vamos indo, vamos indo,
Bem alegres vamos indo,
sob um céu de anil.
(o canto se repete p/todas as
patrulhas, chefia, fogo, etc.)

147 - Havia uma coruja
Havia uma coruja
Que morava na floresta
nas noites de lua cheia
ouvia-se o seu canto
itui - itui - itui
itui - itui - itui
cha-chara-cha-cha
cha-chara-cha-cha
che-chere-che-che
che-chere-che-che

148 - A vaca subiu no monte
A vaca subiu no monte,
A vaca subiu no monte,
A vaca subiu no monteee...
O que é que a vaca viu ?
O que é que a vaca viu ?
O que é que a vaca viu ?

(repetir ao menos 10 vezes)
O outro lado do monte,
O outro lado do monte,
O outro lado do monte,
Foi o que a vaca viu.
Foi o que a vaca viu.
Foi o que a vaca viu.
(repetir só duas vezes)

149 - Acorda menina bonita
Acorda menina bonita,
levanta e vai fazer o café,
que o dia já vem raiando,
e a chefia já está de pé.
(Mas...)
Corre que a chefia é uma praga,
e às oito vai fazer inspeção,
se o campo não estiver tinindo,
a monitora vai virar leão!

150 - Eu sou um lobinho
Eu sou um lobinho, sempre a brincar,
de uniforme e bonézinho, sempre a cantar.
Escoteiro não descansa, dorme no chão,
mas eu que sou um lobinho, levo um vidão !
trá-lá-lá-lá, trá-lá-lá-lá
nhé-nhé-nhé nhé-nhé,
Viva a Akela !

151 - Findo o Dia
Findo o dia...
Foi-se o Sol...
Lá no céu...
Nas campinas...
No mar...
Tudo em paz...
Tudo em paz !<
Deus nos Guarde !
(REPETE)

152 - A Bactéria
Era uma bactéria, ria,
Muito feia, ia,
Horrorosa, za,
Pegou um corpo, po,
Muito forte, te,
Se danou, se danou
para valer !
O corpo tinha anticorpos, pos,
e eles logo, go,
resolveram, ram,
Deu uma briga, ga,
violenta, ta
Foi assim, foi assim
que ela morreu !
153 - Não posso trabalhar
Segunda-feira Início da semana
Eu que sou bacana Não posso trabalhar
Não posso trabalhar Não posso trabalhar

Terça-feira É o dia seguinte
E por conseguinte Não posso trabalhar
Não posso trabalhar Não posso trabalhar

Quarta-feira A patroa cai doente
Consequentemente Não posso trabalhar
Não posso trabalhar Não posso trabalhar

Quinta-feira É meio da semana
Ainda tenho grana Não posso trabalhar
Não posso trabalhar Não posso trabalhar

Sexta-feira Paixão de Jesus Cristo
E respeitando à isto Não posso trabalhar
Não posso trabalhar Não posso trabalhar

Sábado É só meio expediente
E por meio expediente Não posso trabalhar
Não posso trabalhar Não posso trabalhar

E no Domingo É um dia feriado
Eu estou muito cansado E não posso trabalhar
Não posso trabalhar Não posso trabalhar

154 - Acamparei com emoção
Sou escoteiro de coração Acamparei com emoção!
Sou escoteiro de coração Acamparei com emoção!
Ela é lobinha, eu sou lobinho, namoraremos no escurinho!
Ela é lobinha, eu sou lobinho, namoraremos no escurinho!
Ela é escoteira, eu sou escoteiro, nos casaremos em fevereiro!
Ela é escoteira, eu sou escoteiro, nos casaremos em fevereiro!
Primeiro cada frase é recitada, depois cantada em cadência rápida, acompanhada de palmas.

155 - Clim-Clem-Clof
Clim clém clóf, Ta-ra-rá Tirulíra
Clim clém clóf, Ta-ra-rá, Ta-ra-rá
Flu-flú. (bis)
Zum-zaravá etí-etá
Mistirulíra Catnaspluma
Catnaspluma fló-fló-fló !
(Repete cada vez mais rápido)

156 - O sapinho faz glem-glum
Glém-glum fez um dia um sapinho,
Glém-glum fez um dia um sapinho,
Glém-glum fez um dia um sapinho,
e seus olhinhos faziam glém-glum!
repete a musica para:
sua boquinha, sua cabeça,
sua patinha, seu corpinho, etc.

Variante:
Glém-glum faz assim o sapinho,
Glém-glum faz assim o sapinho,
Glém-glum faz assim o sapinho,
Todos os sapinhos fazendo assim!
(e todos devem imitar o mestre:
Ficar de cócoras, arregalar os
olhos, por a língua pra fora,
chacoalhar a cabeça, por uma
perninha de lado, pular
chacoalhando os braços e...
pular para a frente!
"em peixinho" de vôlei)

157 - Graças
Graças pela manhã tão linda graças por todo alvorecer
Graças porque os cuidados eu te posso oferecer.
Graças por todo bom amigo graças por todo humano ser
graças quando os maiores inimigos eu puder absolver.
Graças pelo dever diário graças pelo menor prazer
graças pois devo a música e a luz agradecer.
Graças pelos momentos tristes graças por quem consolo dá
graças porque em todo lugar Tua mão nos guiará.
Graças pela doutrina santa graças por Teus divinos dons
graças porque por seres Pai fizeste os homens meus irmãos.
Graças por tudo que me destes graças pelo que posse ser
graças, Senhor eu graças dou por graças poder dar.

158 - Quando Fernando VII usava paletó
Quando Fernando VII usava paletó
Quando Fernando VII usava paletó
Quando Fernando VII usava paletó, paletó, usava paletó

Quanda Farnanda VII asava palatá
Quanda Farnanda VII asava palatá
Quanda Farnanda VII asava palatá, palatá, asava palatá

Quende Fernende VII eseve peleté
Quende Fernende VII eseve peleté
Quende Fernende VII eseve peleté, peleté, eseve peleté
(Prossegue com I, O e U)

159 - Eu tenho um nariz
Eu tenho um nariz e uma orelha
Eu tenho um nariz e uma orelha
Eu Tenho dois olhos e um queixo
Eu Tenho dois olhos e um queixo
Eu tenho um nariz e uma orelha
Eu Tenho dois olhos e um queixo
Eu tenho um nariz e uma orelha
Eu Tenho dois olhos e um queixo

160 - Canção do Tio Remus
(Filme de Walt Disney)
Zupa-di-duda, zupa-di-ê...Mas que belo dia hoje vai ser,
o sol brilhando vem nos dizer que hoje é dia de bem-querer.

Meu amigo o passarinho já vem cantar - Que lindo!
Natureza está sorrindo...

Oh!...Zupa-di-duda, zupa-di-ê, Mais um belo dia hoje vai ser,
o sol brilhando vem nos dizer Tens alegria, saiba viver !

161 - Cio da Terra
(Milton Nascimento/C. Buarque)
Debulhar o trigo
Recolher cada bago do trigo
Forjar no trigo o milagre do pão
E se fartar de pão.

Decepar a cana
Recolher a garapa da cana
Roubar da cana a doçura do mel
Se lambuzar de mel.

Afagar a terra
Conhecer os desejos da terra
Cio da terra a propícia estação
De fecundar o chão.
Debulhar o trigo (...)

162 - Não posso ficar
I cannot stay
nem mais um minuto with you
sinto much love
mas don’t pode ser
Lives in Jaçanã
se I don’t take this trem
que parte now as eleven oclock
so tomorrow de mornig.
E além disso womam
have other things
Minha mãe não sleep enquanto
eu não arrive.
Sou son unico,
have a minha house pra to live!

163 - Hermanos del Viento
Somos os irmãos do vento
que dança nas ondas do mar,
que canta nas folhas do bosque,
e ruge quando há temporal.

Vamos por vales e montes,
nada nos pode parar,
pois somos os irmãos do vento,
e amamos a todos a liberdade.

Assim somos escoteiros,
dançamos junto ao fogo,
cantamos para a vida,
dormimos ao relento.

Vamos levando uma mensagem,
de amor e de fraternidade,
buscando a luz e a alegria,
cantando canções de paz.

Se nossas mãos são tão fracas
pouco se pode esperar,
juntando nossa energia
formamos uma grande
fraternidade.

164 - Pé-de-Vento
Pé-de-vento deu no acampamento,
desmoronou, jogou tudo pelo chão.
Vai pé-de-vento, vai embora,
deixe a gente sossegado aqui, agora!
Pé-de-vento isto não se faz,
deixe o acampamento em paz.
Minha mochila, pé-de-vento levou,
minha barraca, pé-de-vento levou.
Que labirinto,
o lenço limpo do Olinto,
até o cinto do Jacinto,
pé-de-vento levou !

165 - Quero ver
Quero ver você não chorar,
não olhar pra trás,
não se arrepender do que faz.
Quero ver o amor nascer,
você resistir e sorrir.
Bom Natal, um feliz Natal,<
muito amor e paz pra você...
Pra você !

166 - Cabra da Peste!
Do Nordeste distante
Veio está canção
Diga OXENTE 1 vez
Preste bem atenção...

Cabra da Peste, Bichinho da Gota, OXENTE
Cabra da Peste, Bichinho da Gota, OXENTE

Do Noredeste disatante
Continua a canção
Diga OXENTE 2 vezes
Preste bem atenção...

Cabra da Peste, Bichinho da Gota, OXENTE, OXENTE
Cabra da Peste, Bichinho da Gota, OXENTE, OXENTE

Do Noredeste disatante
Continua a canção
Diga OXENTE 3 vezes
Preste bem atenção...

Cabra da Peste, Bichinho da Gota, OXENTE, OXENTE, OXENTE
Cabra da Peste, Bichinho da Gota, OXENTE, OXENTE, OXENTE

E assi continua até enjoar...

167 - Ti-ti-bó Dibó-bó-bó
Ti-ti-bó Dibó-bó-bó
Ti-ti-bó Dibó-bó-bó
Ti-ti-bó Dibó-bó-bó

Repete-se interminavelmente o ritmo enquanto cada um repete os gestos da pessoa à sua esquerda, sempre com a defasagem de uma rodada. O efeito é que cada um vai estar obrigatoriamente fazendo um gesto diferente dos que estão do lado. Quanto mais loucos os gestos, melhor. Quem erra sai e vai para o centro do círculo, ajudando a tomar conta.
68 -Dança tropical
Titiuá - Titiuá
Titiuá - Titiuá } BIS
É uma dança tropical } "
Punho pra frente, dedão pra cima !

Punho pra frente, cotovelo pra trás!
Punho pra frente, cotovelo pra trás, joelhos juntinhos!
Punho pra frente, cotovelo pra trás, joelhos juntinhos, pés de pingüim!

Punho pra frente, cotovelo pra trás, joelhos juntinhos, pés de pingüim, bundinha pra cima!
Punho pra frente, cotovelo pra trás, joelhos juntinhos, pés de pingüim, bundinha pra cima, cabeça pra trás!
Punho pra frente, cotovelo pra trás, joelhos juntinhos, pés de pingüim, bundinha pra cima, cabeça pra trás e rebolando!

169 - Lei Escoteira
Se quer ser alegre Caro companheiro
Faça como nos Seja escoteiro...
Are, are, are... Are, are, are...
Faça todo dia Uma boa ação
Tenha sempre o outro Como seu irmão.
De ao bem alheio Sempre mais valia
Guarde mais um pouco Faça economia.
Uma só palavra Serve-nos de guia
Honra e lealdade Junto a cortesia.
O escoteiro é limpo Em seu corpo e alma
E por isso ganha Da virtude a palma.
Seja obediente E disciplinado
Animais e plantas Sejam respeitados.
Para completar Como despedida
No escoteiro a honra Vale mais que vida.

170 - Pequeño Pez
Pequeño Pez, Periscópio, Piel, Pantalon, Panadero, Prefectura, Paz
Prisión, Propriedad Particular, Pitulaca, Pulpo, Pipa, Pora, Pin, Papel
Pistola, Pote, Opíparo Para Pensar
Pradera, Peluquero, Para Poco Pan, Perico, Pancho, Palote, Plancha, Pelota

171 - CAMPO DE MELÃO
Tenho um campo de melão pen dibidu gogo bida didu,
Tenho um campo de melão gobida gobidu penpen dibidu gogo bidabidu Ração de Bartô
Foi lá no mato num acampamento Comemos tanto ração de Bartô
Faltou panela pra tanto alimento E o cozinheiro como caprichou

Barriga cheia veio aquela lomba Nada fizemos tudo se atrasou
Com tanto peso a nossa mesa tomba E a carta prego mais ninguém tocou

Ai chega a chefia, gritando! E a tropa toda tremeu
Pra nossa agonia O chefe como nós não comeu

E perguntava "Do you wanna work?" E nos cobrava "Do you wanna work?"
Lá fomos nós, comer demais não faz mal. Hei, hei, hei, hei, hei, hei, hei.

172 - Quando quiser o frio esquentar
Quando quiser o frio esquentar,
Pegue seus cavalos e ponha-se a trotar,
Cavalos! Trotando! Uma pata!

Quando quiser o frio esquentar,
Pegue seus cavalos e ponha-se a trotar,
Cavalos! Trotando! Uma pata! Duas patas!

Quando quiser o frio esquentar,
Pegue seus cavalos e ponha-se a trotar,
Cavalos! Trotando! Uma pata! Duas patas! Três patas!

Quando quiser o frio esquentar,
Pegue seus cavalos e ponha-se a trotar,
Cavalos! Trotando! Uma pata! Duas patas! Três patas! Quatro Patas!

Quando quiser o frio esquentar,
Pegue seus cavalos e ponha-se a trotar,
Cavalos! Trotando! Uma pata! Duas patas! Três patas! Quatro Patas! A cabeça!

Quando quiser o frio esquentar,
Pegue seus cavalos e ponha-se a trotar,
Cavalos! Trotando! Uma pata! Duas patas! Três patas! Quatro Patas! A cabeça! O rabo!
(Naturalmente aí termina a música, por morte dos cantores..)

173 - Terra do Velho Olmeiro
Terra do velho olmeiro, lar do castor
onde o alce poderoso é o senhor,
ao lago azul rochoso eu voltarei de novo
bum ti-ri-rá tim-bum ti-ri-rá tim-bum.

Saudades tenho aqui, destas colinas
eu voltarei de novo e às campinas,
ao lago azul rochoso eu voltarei de novo
bum ti-ri-rá tim-bum ti-ri-rá tim-bum.

174 - Escoteiro feliz
Antes eu vivia tão sozinho,
não tinha nem ao menos companheiro,
hoje minha vida é alegria,
depois que me tornei um escoteiro.

O escotismo é bom, e todo mundo diz: } refrão
Quem entra nele só pode ser feliz. }
Agora estou contente e um juramento fiz }
de carregar comigo a flor-de-lis. }
Trá,lá,lá,lá-lá-lá , Trá,lá,lá,lá-lá-lá }

Agora tenho muitos companheiros,
amigos de verdade eu achei,
a vida solitária já não lembro,
porque a felicidade eu encontrei.

Refrão
A você que está me escutando,
um convite eu quero fazer,
entre para um Grupo de Escoteiros,
que prá nós será muito prazer.

175 - Caça às Focas
Oki toki Yumba, }
Oki toki Yumba, } BIS
Hey, little hay, } (Refrão)
little hey, little howl. }
Hey Tacoma mishawaki ! } Ficar triste.
Hey Tacoma mishawaki ! } (não achou a foca)

Refrão (cadência pesada.)
Hey Tacoma mishawaki ! } Ficar contente.
Hey Tacoma mishawaki ! } (achou a foca)

Refrão (cadência rápida.)
Hey Tacoma mishawaki ! } Ficar alegre.
Hey Tacoma mishawaki ! } (pegando a foca devagar)
Refrão (cadência bem lenta.)

176 - O Lobinho Josué (em ritmo de samba)
Na minha alcatéia tem um lobo,
um lobinho que se chama Josué,
ele entrou no meu galinheiro,
e depenou meu galinho garnisé.

O garnisé que eu ganhei da Akela,
porque eu fiz a minha boa ação,
e esse lobinho, que é muito sapeca,
depenou o meu galinho pra fazer uma peteca.

ó Akela, Tum-tum-tum ! }
ó Akela, Tum-tum-tum ! }
Quero que diga ao lobinho Josué, } BIS
Que eu quero no puleiro, o meu galinho garnisé ! }

177 - Funiculí, funiculá
Cantar um doce som pela montanha
Para sorrir, Para sorrir
Cantar e afastar toda tristeza
Para viver, Para viver
Pois quem procura sempre a alegria
Sem vacilar, sem vacilar
Na luz, que surge fresca na aurora
Sem descansar, sem descansar

Por isso! Canta, avança com esta canção
Rindo sempre, pela vida ao Sol
Funiculí, funiculá, funiculí, funiculá...
Vibra o coração ! funiculí, funiculá !
Buscar no transcorrer de nossa vida
Um ideal, um ideal
Seguir o exemplo de nossos heróis
até o final, até o final
E Deus, que vai guiado nossa trilha<
nos dê a luz, nos dê a luz
Subir e atingir a Sua glória<
e Sua virtude, e Sua virtude...

178 - A granja do meu tio João
A granja do meu tio João - Ia-ia-ô
De patos invadida está - Ia-ia-ô
Por aqui quá-quá pra lá quá-quá
Por aqui, por lá, por todo lugar !
A granja do meu tio João - Ia-ia-ô
Repete com cães, gatos, bois, burros, etc.

179 - Johnny Furacão
Esta é a historia de Johnny Furacão
Um cara que bem cedo desejou ser campeão
Vivia alimentando esse desejo profundo<
Pois Johnny sempre quis ser o maior do mundo
Juntou dinheiro o ano inteiro
Johnny resolveu então comprar um carro
E se inscrever numa prova gigante
Essa é sua chance de se tornar importante
Johnny então começa a treinar
E a se destacar
Afinal chegou o grande dia<
Johnny nem cabia de tanta alegria
Está tudo pronto,
não falta nada
Só a vitória e o beijo da namorada
A corrida acabou de começar
Johnny dispara em primeiro lugar
Johnny está na frente
seu carro é diferente
Johnny vai ganhar
pois não há como parar
Johnny está pensando no que vai dizer
não pode aparecer chorando na TV
A corrida já está pra terminar
mas quando o carro quebra na curva principal
Johnny vai ao muro, o mundo viu o seu final
Johnny morreu...
Johnny morreu, antes ele do que eu !!!
Quem acreditou nesta estória é um bobão
pois Johnny na verdade se tornou um Campeão!

180 - Jucaidi
Pelos campos ao redor, jucaidi, jucaidá
Vamos todos passear, jucaidi, jucaidá
Desde cedo ao pôr do sol
Nós queremos caminhar

Jucaidi jucaidá jucaidi -aidi -aidá<
Jucaidi jucaidá jucaidi -aidi -aidá

Pra frente toca o pé, jucaidi, jucaidá
Toma alento, toma ardor, jucaidi, jucaidá
Quem se atrasa por demais
Não é bom caminhador

Jucaidi jucaidá jucaidi -aidi -aidá
Jucaidi jucaidá jucaidi -aidi -aidá

A montanha ao longe está, jucaidi, jucaidá
A mostrar-nos seu perfil, jucaidi, jucaidá
Vamos todos para lá
Escalando o alcantil

Jucaidi jucaidá jucaidi -aidi -aidá
Jucaidi jucaidá jucaidi -aidi -aidá...
Jucaidi jucaidá jucaidi -aidi -aidá } morrendo
Jucaidi jucaidá jucaidi -aidi -aidá } devagar

181 - Como é Feliz o Acampamento
Como é feliz o acampamento na floresta.
Junto de nos passa um regato a murmurar.
Cantão as aves pelos ninhos sempre em festa.
E o vento sopra a ramagem a dançar.
E sobre o coração... e o coração!
Porque sou tão feliz... sou tão feliz!
Eu levo com amor... e com amor!
A minha flor de lis... a flor de lis!
Perto de mim tenho tantos companheiros.
A cada um deles eu estimo como irmão.
É a amizade que reúne os escoteiros.
Faz com que todos tenha um só coração

182 - Vida no Curso
Há nuvem de chuva sobre o acampamento.
Dizendo pra nós que não vai dar tempo.
De nenhuma barraca montarrrrr.

Nós temos feito de tudo pra nos convencer.
Que as técnicas mateiras são nosso viver.
Mas nosso chefe não se deixa enganar.

Ai, como é duro ser escotista.
Longe de casa tentando passar na inspeção.
Me ensina a ser exemplo.
Ou venha logo e me tira desta situação.

Vivo pedindo sisal pra fazer pionerias.
Mas tudo tem saído uma bela porcaria.
Basta ver o tripé da bacia.

Nós temos feito de tudo p’ra nos convencer.
Que as técnicas mateiras são nosso viver.
Mas nosso chefe não se deixa enganar.

Ai, como é duro ser escotista.
Longe de casa tentando passar na inspeção.
Me ensina a ser exemplo.
Ou venha logo e me tira desta situação

183 - ANDAR DE TREM
Andar de trem
ANDAR DE TREM
É bem melhor
É BEM MELHOR
Se puxar o Cordão
SE PUXAR O CORDÃO
Você para o trem
VOCÊ PARA O TREM
O inspetor
O INSPETOR
Se aborrecerá
SE ABORRECERA
E mandara
E MANDARÁ
Você p’ra fora do trem
VOCÊ P’RA FORA DO TREM
184 - Eu dei um nó
Eu dei um nó, um nó, um nó de escota,
amarrei minha bandeira para não ficar a solta
No acampamento, o primeiro que eu fiz,
não fui muito feliz, pois muito trabalhei.
O monitor, pega água, pega lenha,
vê cabra se tu agüentas, tem panelas p’ra lavar.
Na minha folga, uma mesa fui armar,
depois dela aprontar a turma eu chamei,
chegou o chefe, sentou nela com firmeza,
mas a pobre da minha mesa foi no chão ele deixar
Foi na cozinha, o destaque bem maior,
pois eu não tinha dó, e bem me apresentei
arroz queimado, o feijão estava bem duro
onde foi o meu descuido até hoje eu não sei
mais hoje em dia aprendi dar muitos nós
agora vejam só aqueles que já sei;
o nó de frade e o nó de pescador,
mas o nome do fundador não pergunte que eu não sei.

185 - Tibum, Tibum
Tibum, tibum trala la, la, la, la, la
Tibum, tibum trala la ,la, la, la, la
Peixe quer mar ave voar, eu só quero você perto de mim,
porque amo, e gosto dela assim:
Assada, cozida, fritinha, enrolada todinha p’ra mim
Uma escoteira, uma pioneira, qualquer uma serve p’ra mim,
porque amo, e gosto dela assim:
Assada, cozida, fritinha, enrolada todinha p’ra mim
Uma guia eficiente, que seja bonita e conserve seus dentes,
porque amo, e gosto dela assim:
Assada, cozida, fritinha, enrolada todinha p’ra mim
Uma pioneira que viva na mata, que seja bonita e não use gravata
porque amo, e gosto dela assim:
Assada, cozida, fritinha, enrolada todinha p’ra mim
Uma guia cozinheira, que seja bonita, e não diga besteira
porque amo, e gosto dela assim:
Assada, cozida, fritinha, enrolada todinha p’ra mim

186 - GRAÇAS A DEUS
GRAÇAS A DEUS, PELO MAR E PELO SOL,
PELO TRIGO QUE DA O PÃO E OS CAMPOS A LAVRAR
POR ISSO, GRAÇAS A DEUS, POR PODER-MOS TRABALHAR,
AS CRIANÇAS A BRINCAR E POR TODA TUA BONDADE
POR ISSO VEM, VEM, VEM, VEM,
QUERO, QUERO, QUERO, TODO TEU QUERER<
GRAÇAS A DEUS, PELA VIDA E PELO AMOR,<
PELO IRMÃO QUE NOS DA E O AMIGO QUE ESTA AQUI,
POR ISSO, GRAÇAS A DEUS, PELO MAR E PELO SOL,
PELO TRIGO QUE DA O PÃO E POR MUITAS COISAS MAIS

187 - CEMITÉRIO
ENTRE OS CAUSTROS DE UM VELHO MONASTÉRIO
ACHAM-SE AS TUMBAS DE UM TRISTE CEMITÉRIO
TUMBAS POR AQUI - TUMBAS
TUMBAS POR ALI - TUMBAS
TUMBAS, TUMBAS, TUMBAS - AHHHHHHHHHHHH
E UM CERTO DIA SAEM O DEFUNTOS
SAEM DE PASSEIO OS MORTOS TODOS JUNTOS
MORTOS POR AQUI - MORTOS<
MORTOS POR ALI - MORTOS MORTOS, MORTOS, MORTOS, AHHHHHHHHHHH
E COM AS TÍBIAS E OS PERONEUS
FAZEM OS ESQUELETOS, LINDOS CLARINETES
OSSOS POR AQUI - OSSOS
OSSOS POR ALI - OSSOS
OSSOS, OSSOS, OSSOS, AHHHHHHHHHHHHH

188 - CÉUZINHO
Se você quiser lá no céu entrar
faça um buraquinho prá poder passar
Haili Hailo oo, Haili Hailo oo
Se você do inferno não escapulir
tape o buraquinho para não sair
No céu não se ganha copa mundial
Nem é preciso ser Miss Universal
Se você quiser ser bem feliz
seja um bom lobinho como a lei nos diz

189 - PÕE TUAS MÁGOAS NO BORNAL
Põe tuas magoas no bornal, e vamos rir, rir, ri.
Porque ligar só para o mal Porque? isto não resolve!
Para que preocupações?
Não trazem soluções, logo,
pões tuas magoas no bornal, e vamos rir, rir, rir.

191 - CANÇÃO DO REI DAVID
QUANDO O ESPIRITO DE DEUS SE ENVOLVE EM MIM
EU CANTO COMO O REI DAVID - BIS
EU CANTO, EU CANTO, EU CANTO COMO O REI DAVID - BIS
QUANDO O ESPIRITO DE DEUS SE ENVOLVE EM MIM
EU DANÇO COMO O REI DAVID - BIS
QUANDO O ESPIRITO DE DEUS SE ENVOLVE EM MIM
EU REZO COMO O REI DAVID - BIS
QUANDO O ESPIRITO DE DEUS SE ENVOLVE EM MIM
EU LOUVO COMO O REI DAVID - BIS

192 - ACAMPANDO LÁ EM JUQUITIBA
CHEGUEI CEDO, LÁ NA SEDE PEGUEI ÔNIBUS FUI ACAMPAR
LA CHEGANDO, LOGO VI QUE O ACAMPAMENTO, TAVA P’RA MIM
DESCARREGUEI, MATERIAL MONTEI O TOLDO E A BARRACA<
MAIS TEMPO LOGO MUDOU CAIU A CHUVA, FOI UM HORROR
ACAMPANDO LÁ EM JUQUITIBA LÁ EM JUQUITIBA, LÁ EM JUQUITIBA
MAIS A CHUVA LOGO PAROU PEGUEI A LENHA, PARA O FOGÃO
O MONITOR LOGO MANDOU PEGAR PANELAS, FAZER SOPÃO
SAIU UMA COISA, MUITO GRUDENTA TINHA UM SUCO, DE DAR PAVOR
MAIS FOME, ERA MAIS FORTE POIS O BANQUETE, ERA DE REI
ACAMPANDO LÁ EM JUQUITIBA LÁ EM JUQUITIBA, LÁ EM JUQUITIBA
VEIO O FOGO DE CONSELHO MUITA LENHA, PARA QUEIMAR
MAIS UM CHEFE VEM PERGUNTAR ESTE FOGO POSSO MUDAR ?
TINHA PÓLVORA, E GASOLINA E MUITA GENTE PARA ASSISTI
SUA BARBA E SEU CABELO LOGO O FOGO TUDO APAROU
ACAMPANDO LÁ EM JUQUITIBA LÁ EM JUQUITIBA, LÁ EM JUQUITIBA
NO FINAL DO ACAMPAMENTO DESMONTAMOS AS BARRACAS E NO CAMPO JÁ TUDO PRONTO O GRANDE CIRCULO JÁ FIZEMOS
E NA CANÇÃO DE DESPEDIDA MUITA EMOÇÃO MUITA ALEGRIA
EM JUQUITIBA TUDO E TÃO LINDO QUE BELOS LAGOS, QUE BELOS DIAS
ACAMPANDO LÁ EM JUQUITIBA LÁ EM JUQUITIBA, LÁ EM JUQUITIBA

193 - TERRA DO VELHO OLMEIRO
Terra do velho olmeiro lar do castor,
onde o alce poderoso é o senhor!
Ao lago azul rochoso eu voltarei de novo
Bum tiriatibum, tiriatibum, tiriatibum (2X)
Tenho saudade daqui destas campinas.
Ao norte voltarei para as colinas.
Ao lago azul rochoso eu voltarei de novo.

194 - FRERE JACQUES
Frere Jacques, Frere Jacques
Dormez vous? Dormez Vous?
Sonnes las matines, Sonnes las matines,
Din, din, don. Din, din, Don.
Brother John, Brother John.
Are you sleeping? Are you sleeping?
Morning belle are ringing, Morning belle are ringing,
Din, din, don. Din, din, Don, Frei sineiro, Frei sineiro.
Dormes tú, Dormes tú, Tocam as matinas,
Tocam as matinas, Din, din, don. Din, din, Don

195 - REI DOS REIS
QUE ME DIGA OS ESCOTEIROS, QUEM É O REI DOS REIS
QUE ME DIGA OS ESCOTEIROS, QUEM É O REI DOS REIS
O REI DOS REIS É O SENHOR, O REI DOS REIS É O SENHOR
QUE ME DIGA OS LOBINHOS, QUEM É O REI DOS REIS
QUE ME DIGA OS LOBINHOS, QUEM É O REI DOS REIS
QUE ME DIGA OS SENIORS, QUEM É O REI DOS REIS
QUE ME DIGA OS SENIORS, QUEM É O REI DOS REIS
QUE ME DIGA AS ESCOTEIRAS, QUEM É O REI DOS REIS
QUE ME DIGA AS ESCOTEIRAS, QUEM É O REI DOS REIS
QUE ME DIGA AS LOBINHAS, QUEM É O REI DOS REIS
QUE ME DIGA AS LOBINHAS, QUEM É O REI DOS REIS
QUE ME DIGA AS GUIAS, QUEM É O REI DOS REIS
QUE ME DIGA AS GUIAS, QUEM É O REI DOS REIS
QUE ME DIGA A CHEFIA, QUEM É O REI DOS REIS
QUE ME DIGA A CHEFIA, QUEM É O REI DOS REIS
QUE ME DIGAM TODOS, QUEM É O REI DOS REIS
QUE ME DIGAM TODOS, QUEM É O REI DOS REIS

196 - Sou escoteiro e sou sinaleiro
Sou escoteiro e sou sinaleiro, A, B, C, D
Em semáforo transmito ligeiro, E, F, G
Desde o primeiro ao quarto grupo
Eu faço K e V, Eu faço X
Eu faço I R, J, P

P>197 – Caminho de paz
Con las manos enlazadas,
senda Scout, camino de paz,
caminar la misma ruta,
senda Scout, camino de paz.

Las altas cumbres de los montes
nos desafian a escalar,
buscando nuevos horizontes,

siempre ascendiendo más y más
Con las manos enlazadas,
senda Scout, camino de paz,
caminar la misma ruta,
senda Scout, camino de paz.

Vivir cumpliendo nuestro lema
de dar servicio a los demás
es dar la paz a nuestra tierra
sembrando buena voluntad

Con las manos enlazadas,
senda Scout, camino de paz,
caminar la misma ruta,
senda Scout, camino de paz.

Cantando alegres junto ao fuego
agradecidos de vivir
vamos llamando el mundo entero
a la hermandad del Jamboree!

198 – Canção de Gilwell
Eu era um bom lobo
Um bom lobo de lei.
Não estou mais lobando
O que fazer não sei

Me sinto velho e fraco
Não sei mais lobar
Logo a Gilwell
Assim que eu possa
Vou voltar

Volto a Gilwell,
Terra boa,
Lá um curso assim
que eu possa, vou tomar

199 – Aram tsam, tsam
Aram tsam, tsam
Aram tsam, tsam
guli, guli, guli, guli
guli aram tsam, tsam

Aram tsam, tsam
Aram tsam, tsam
guli, guli, guli, guli
guli aram tsam, tsam
Arabit, arabit
guli, guli, guli, guli
guli, aram tsam, tsam

Arabit, arabit
guli, guli ,guli, guli
guli aram tsam, tsam
200 – Coisa velha e antiquada
Coisa velha e antiquada é caminhar, caminhar!
Coisa velha e antiquada é caminhar, caminhar!
Coisa velha e antiquada e por todos detestada,
Coisa velha e antiquada é caminhar, caminhar!

201 – Napoleão
Napoleão com mil soldados vai…
Napoleão com mil soldados vai…
Napoleão com mil soldados vai…
Marchando sempre atrás!

202 – Abuni
Abuni buni tcha abuni
Abuni buni tcha abuni

A ya, ya yipi ay cayeni
A ya, ya yipi ay cayeni
Abu abuni tchi chi
(repete)

203 – A Mutu
A mutu te tiare mai nua maite aro
ama tua maite aro ama tua

A mutu te tiare mai nua maite aro ama
tua maite aro ama tua

Ite vie nehe, nehe, ote aro tea, tea
mai kore te manau, ama tua

Ite vie nehe, nehe, ote aro tea, tea
mai kore te manau, ama tua

A mutu te tiare, tui roa moe roe
tui roe moe roe, ote riu va e hau

Aue te tangi raki, iti ara turuo
maua ko taki, poki e

Ite vie nehe, nehe, ote aro tea, tea
mai kore te manau, ama tua

Ite vie nehe, nehe, ote aro tea, tea
mai kore te manau, ama tua

204 – Dá-nos, fogo, tuas chamas
Dá-nos fogo, Tuas chamas
Dá-nos fogo, Luz e calor
As fagulhas da fogueira
Dançam, brilham pela noite
Qual estrela cuja esteira
Perde-se no ar.

205 – Quando a fogueira reduz
Quando a fogueira reduz sua luz
Eu começo a recordar
Volta à memória o passado distante
Que a saudade não deixa olvidar

Vão-se os anos e eu posso de novo viver
Feliz naquele escarcéu
Do reino infantil e juvenil
Onde é sempre azul o céu

Nos meus sonhos volto sempre a Gilwell
Onde alegre e feliz eu acampei
Vejo os fins de semana com os meus amigos
E o campo em que treinei
É mais verde a grama lá em Gilwell
Onde o ar do Escotismo eu respirei
E no sonho eu sei, verei B-P
Que nunca longe está dali
206 – Sou escoteiro
Sou Escoteiro
(Sou Escoteiro)
De Coração
(De Coração)
Acamparei
(Acamparei)
Com emoção
(Com emoção)
Sou Escoteiro de coração
Acamparei com emoção

207 – Toque, patoque
Toque, patoque, patoque, tapi
Tiquete, quite, quitumba, tumba, tumba, tumba
(Em circulo giratório em mãos dadas, o compaso da musica é marcado por passos

208 – A Jibóia
A jibóia me falou que está com fome
Ta com fome faz um ano que não come
Foi falando e foi abrindo a sua goela
É por isso que eu não chego perto dela

A Jibóia me falou que quer caricie
Quer caricie e está cheia de melice
Foi falando e foi abrindo a sua goela
É por isso que eu não chego perto dela

A Jibóia me falou que quer um abraço
Ela pensa que sou bobo e sou palhaço
Foi falando e foi abrindo a sua goela
É por isso que eu não chego perto dela

209 – Tomatinho Vermelho
Tomatinho vermelho
Para a estrada rolou
Caminho grande veio
E o Tomatinho esmagou..
Tadinho do tomatinho,
Pobrezinho do tomatinho…
Agora CATCHUP virou, Agora CATCHUP virou.

210 – Gosto de andar e passear
Um passinho cá, um passinho lá
Gosto de andar e passear, TRALALALALA
Calcanhar e ponta, gira 1, 2, 3.
Até logo! Olá, muito prazer. TRALALALALA

211 – A Casinha
Eu tenho uma casinha, assim, assim
Eu bato na portinha, assim, assim, assim,
E pela chaminé, a fumaça sai assim
Eu limpo a janelinha, assim, assim, assim.

212 – Cleoprata
Cleoprata das pirâmides do Egito
Procurava encontrar o Júlio César
Târãrãrãrã – Târãrãrãrãrã

213 – Ana Guanâna
Anaaa, Guanâna
Ana, Ana, Guanânana
É 1, é 2, é 3 Guanâna
Ana, Ana, Guanânana

214 – Folclore (Asa Branca)
Você sabe o é folclore?
Vou lhe dar a explicação
É tudo aquilo que sai do povo
Que nasce livre do coração

Tem a lenda da Mãe-d’água
Tem estórias do Saci
Do Curupira, Vitória-régia
Do Lobisomem, curupira

Tem cantiga de criança
Tem Modinha, tem Lundu
Tem Samba Lenço, baião e frevo
Cateretê, maracatu

Tem ditados populares
Mostram o que o povo sente
Quem não te cão, caça com gato
Olho por olho, dente por dente

Minha terra tem de tudo
Tem angu, tem mungunzá
Tem carne seca, tem rapadura
Tem caruru, tem vatapá

Tudo isso pode crer
Foi do povo que saiu
É do folclore da nossa gente
Da nossa gente boa do Brasil

215 – Hino das Guias Bandeirantes
Musica enviada pela Guia Bandeirante Kelly Zanchin – Caxias do Sul – RS. Obrigado Irmã, Semper Parata – Servir

Ritmo: Vento Negro
Onde o campo começar
Clã Raízes gente eu sou
Onde o campo terminar
Uma guia sou
Quem me ouve vai cantar
Hinos belos de louvor
Pelo nosso amanhecer
Pela aurora, pelo sol
No acampamento, hei de seguir
A minha trilha, vivência e ver aquilo que Deus fez
Clã Raízes, mundo afora vai dizer:
Quem luta agora tem que amar, pra prosseguir
Os campos onde atravessei,
Um pouco de mim lá ficou
Um rastro de bem eu deixei
O coração colheu
O verde, o mar e tudo assim
Tão puro e simples há de vir
Como uma bomba explodir
A da vontade de Servir
No acampamento hei de seguir… (2X)
216 – EL ARBOL DE LA MONTAÑA
El árbol de la montaña, eh i a oh, (bis)
Ese árbol tiene una rama Vaya rama !
Ay, ay, ay amor de rama.
La rama del árbol.

El árbol de la montaña, eh i a oh, (bis)
Esa rama tiene un nido Vaya nido !
Ay, ay, ay amor de nido.
El nido de la rama del árbol.

El árbol de la montaña, eh i a oh, (bis)
Ese nido tiene un huevo Vaya huevo !
Ay, ay, ay amor de huevo.
El huevo del nido de la rama del árbol.

El árbol de la montaña, eh i a oh, (bis)
Ese huevo tiene un ave Vaya ave !
Ay, ay, ay amor de ave
El ave del huevo del nido de la rama del árbol.

El árbol de la montaña, eh i a oh, (bis)
Esa ave tiene una pluma Vaya pluma !
Ay, ay, ay amor de pluma.
La pluma del ave del huevo del nido de la rama del árbol.

El árbol de la montaña, eh i a oh, (bis)
Esa pluma tiene un indio Vaya indio !
Ay, ay, ay amor de indio.
El indio de la pluma del ave del huevo del nido de la rama del árbol.
El árbol de la montaña, eh i a oh, (bis)

Ese indio tiene un arco Vaya arco !
Ay, ay, ay amor de arco.
El arco del indio de la pluma del ave del huevo del nido de la rama del árbol.

El árbol de la montaña, eh i a oh, (bis)
Ese arco tiene una flecha Vaya flecha !
Ay, ay, ay amor de flecha.
La flecha del arco del indio de la pluma del ave del huevo del nido de la rama del árbol.

El árbol de la montaña, eh i a oh, (bis)
Esa flecha tiene un blanco Vaya blanco !
Ay, ay, ay amor de blanco.
El blanco de la flecha del arco del indio de la pluma del ave del huevo del nido de la rama del árbol.

El árbol de la montaña, eh i a oh, (bis)
Ese blanco tiene un árbol Vaya árbol !
Ay, ay, ay amor de árbol.
El árbol del blanco de la flecha del arco del indio de la pluma del ave del huevo del nido de la rama del árbol.

217 – LA SANTA CATARINA
La Santa Catarina,chiribín chiribín pom pom, (2)
era hija de un rey, (3)
Pum, chis, cuaz, pelas, gori-gori, tilín tin tin, saca la calaca, ah!
Su padre era pagano,chiribín chiribín pom pom, (2)
pero su madre no, (3)
Pum, chis, cuaz, pelas, gori-gori, tilín tin tin, saca la calaca, ah!
Un día estaba rezando,chiribín chiribín pom pom, (2)
su padre la cachó, (3)
Pum, chis, cuaz, pelas, gori-gori, tilín tin tin, saca la calaca, ah!
“¿Qué haces, hija mía…”,chiribín chiribín pom pom, (2)
en esa posición?, (3)
Pum, chis, cuaz, pelas, gori-gori, tilín tin tin, saca la calaca, ah!

Le rezo a Dios mi Padre,chiribín chiribín pom pom, (2)
que no conoces tú, (3)
Pum, chis, cuaz, pelas, gori-gori, tilín tin tin, saca la calaca, ah!

“O dejas de rezar…”,chiribín chiribín pom pom, (2)
o yo te mataré!”, (3)
Pum, chis, cuaz, pelas, gori-gori, tilín tin tin, saca la calaca, ah!
Desenfundó su espada,chiribín chiribín pom pom, (2)
y luego la mató, (3)
Pum, chis, cuaz, pelas, gori-gori, tilín tin tin, saca la calaca, ah!
Los angeles del cielo,chiribín chiribín pom pom, (2)
bailaron charlestón, (3)
Pum, chis, cuaz, pelas, gori-gori, tilín tin tin, saca la calaca, ah!

218 – VOY A CAZAR UN TIGRE
Voy a cazar un tigre, pero uno así de grande
Yo no tengo miedo, hoy es un lindo día y también hay tantas flores …
Oh – Oh! Qué veo? Es un sendero largo, largo lo paso por arriba, lo paso por abajo mejor lo recorro.
Voy a cazar un tigre, pero uno así de grande Yo no tengo miedo, hoy es un lindo día y también hay tantas flores … Oh – Oh! Qué veo? Es un río ancho, ancho lo paso por arriba, lo paso por abajo mejor lo atravieso.
Voy a cazar un tigre, pero uno así de grande Yo no tengo miedo, hoy es un lindo día y también hay tantas flores … Oh – Oh! Qué veo? Es un árbol grande grande lo paso por arriba, lo paso por abajo mejor lo rodeo.
Voy a cazar un tigre, pero uno así de grande Yo no tengo miedo, hoy es un lindo día y también hay tantas flores …
Oh – Oh! Qué veo? Es un puente largo, largo lo paso por arriba, lo paso por abajo mejor lo cruzo.
Voy a cazar un tigre, pero uno así de grande Yo no tengo miedo, hoy es un lindo día y también hay tantas flores … Oh – Oh! Qué veo? Es una cueva obscura, obscura lo paso por arriba, lo paso por abajo mejor me meto. Voy a cazar un tigre, pero uno así de grande Yo no tengo miedo, hoy es un lindo día y también hay tantas flores … Oh – Oh! Qué veo? Son unos colmillos grandes y filosos El Tigre ! Me salgo de la cueva, cruzo por el puente, rodeo el árbol, atravieso el río, recorro el sendero, yo no tuve miedo, solo fue precaución.

219 – VAMOS A CAZAR UN LEON
Vamos a cazar un león
grande grande grande fuerte fuerte fuerte
Yo no tengo miedo Oh! Qué veo?
Es un árbol grande grande Creo que tendré que treparlo
Vamos a cazar un león
grande grande grande fuerte fuerte fuerte
Yo no tengo miedo Oh! Qué veo?
Es un río largo largo Creo que tendré que cruzarlo
Aumentar más obstáculos y actuarlos.

220 – LA ABEJITA BASVI
Todo el mundo quiere bailar como la abejita Basvi.
Todo el mundo quiere bailar como la abejita Basvi.
Juntamos los pies y las manos tambien.
Y zúmbele, zúmbele, zúmbele bien
Y zúmbele, zúmbele, zúmbele bien.
Todo el mundo quiere bailar como la abejita Basvi.
Todo el mundo quiere bailar como la abejita Basvi.
Juntamos los pies y las rodillas tambien.
Y zúmbele, zúmbele, zúmbele bien
Y zúmbele, zúmbele, zúmbele bien.
Todo el mundo quiere bailar como la abejita Basvi.
Todo el mundo quiere bailar como la abejita Basvi.
Juntamos los pies y los tobillos tambien.
Y zúmbele, zúmbele, zúmbele bien
Y zúmbele, zúmbele, zúmbele bien.

221 – TAREM
Tarem, el conejito tenía una mosca en la nariz,
Tarem, el conejito tenía una mosca en la nariz,
la espantó, la espantó
y la mosca voló la espantó, la espantó y la mosca voló.
Tarem, el conejito tenía una mosca en la oreja,
Tarem, el conejito tenía una mosca en la oreja,
la espantó, la espantó
y la mosca voló la espantó, la espantó
y la mosca voló Var. Aumentar más lugares.

222 – SALTA TAREM
Salta Tarem, que quiero aprender mueve tu colita y las orejas también.
Canta Unkai, te quiero invitar “Cuac,cuac, cuac, cuac, ….”
Caomo al bailar, se mueve así: “Uki, uki, uki, uki, …”
Si tu quieres llegar al tronco de la verdad,
siempre alegre y atenta debes estar,
siempre alegre y atenta debes estar.

223 – EL TALLARIN
Yo tengo un tallarín,
un tallarín,
que se mueve por aquí,
que se mueve por alla,
todo pegostioso y con un poco de sal,
tres gotas de aceite
y te lo comes tú,
y sales a bailar.
Yo tengo un tallarín,
un tallarín …..

224 – EL PAPALOTE
Yo tengo un papalote que es así y así,
y cuando hace viento hace así y así,
y cuando va subiendo hace así, así, así.
Yo tengo un papalote que es así y así …..

222 – LA HORMIGA
Esta era una hormiga muy salada porque creía estar enamorada
A la catumba, tumba, tumba, a la catumba, tumba, tumba, tumba, tumba
Se enamoró de un elefante, porque creía que era importante.
El Capitán de las Islas Filipinas, y su nariz como abrelatas de sardinas.
El Capitán de las Islas Mexicanas, y su nariz de abrelatas de avellanas.
El Capitán de las Islas Filipinas, con su nariz de abrelatas de sardinas.
El Capitán de las Islas Japonesas, con su nariz de abrelatas de cervezas.

223 – FI
Fi,
Fi, fai
Fi, fai, fu
kumbalala, kumbalala, kumbalala, viste
oh no, no, no, no, de viste,
eni meni deci meni kumbalala,
va ola china, de la china,
pum pum cherina psssh VISTE!!!

224 – YO QUIERO UN BU
Yo quiero un bu
Yo quiero un bu
Yo quiero un bu shiki raka shiki raka shika bum
Yo quiero un bu shiki raka shiki raka shika bum
A ha Oh yea!
Otra vez
Esta vez En inglés
I wanna bu I wanna bu …..
En francés En francés …..
Le parle vouz Le parle vouz …..
En japonés En japonés …..
Kachita bu Kachita bu …..
En africano En africano …..
Tatanga bu Tatanga bu …..

225 – LA VACA DEL OESTE
Cuando yo fui al oeste una vaca me encontré,
como no tenía nombre yo María le pondré,
Oh María ! La vaca eres tú,
si te jalo de la cola me respondes y haces: MUUU!
me respondes y haces: MUUU !
Cuando yo fui al oeste una vaca me encontré …..

226 – ALARI ASHA
Alariasha, Alariasha Dubididú. Dubididú
Alariasha, Alariasha Dubididú. Dubididú
Es muy fácil puedes hacerlo
Sólo tienes que aprenderlo
me gusta mucho, pero ninguno como el
shubidi, shubidi, cuash cuash

227 – LOS GRANDES ELEFANTES
Como deben ser los árboles
por donde los grandes elefantes pueden pasar
sin tocar las ramas un árbol aquí,
un árbol aca
y un espacio quedará …
por donde los grandes elefantes pueden pasar
sin tocar las ramas …

228 – EL MOCO
Yo tengo un moco,
lo saco poco a poco,
lo redondeo, lo miro con deseo,
y me lo como
y como sabe a coco volvemos a empezar.

229 – LA SARDINA
Una sardina !
Dos sardinas !
y un patito !
acordaron la manera de subirse a un barquito una tarde de verano !
Chip, Chip, Chip, Chihuahua !
Hua, Hua, Chip, Chip !
Oye Patito !
no te olvides de sacar la gabardina por si llueve !
Chip, Chip, Chip, Chihuahua !
Hua, Hua, Chip, Chip !
Oye Patito !
no te olvides de sacar la gabardina por si llueve !
Una sardina ! ……

230 – LA OTRA SARDINA
Una sardina !
Dos sardinas !
se disputaban !
de tal manera !
que se metieron !
a un zapato !
para viajar !
a Chip, Chip, Chip, Chihuahua !
a Hua, Hua, Hua, Hua, Hua, Chip, Chip !
Oye Patito !
no te olvides de sacar la gabardina por si llueve !
que la repita, X !
Una Sardina ! ….

231 – LA CHIVITA
Sal de ahi, chivita, chivita
Sal de ahi, de ese lugar.
Sal de ahi, chivita, chivita
Sal de ahi, de ese lugar.
Vamos a llamar al lobo para que saque a la Chiva.
El lobo no quiere sacar a la Chiva,
y la chiva no quiere salir de ahi.
Sal de ahi, chivita, chivita …
Vamos a llamar al palo para que le pegue al lobo.
El palo no quiere pegarle al lobo,
el lobo no quiere sacar a la Chiva,
y la chiva no quiere salir de ahi.
Sal de ahi, chivita, chivita ….
Vamos a llamar al fuego para que queme al palo.
El fuego no quiere quemar al palo,
el palo no quiere pegarle al lobo,
el lobo no quiere sacar a la Chiva,
y la chiva no quiere salir de ahi.
Sal de ahí, chivita, chivita …
Vamos a llamar al agua para que apague el fuego.
El agua no quiere apagar al fuego,
el fuego no quiere quemar al palo,
el palo no quiere pegarle al lobo,
el lobo no quiere sacar a la Chiva,
y la chiva no quiere salir de ahi.
Sal de ahí, chivita, chivita …
Vamos a llamar al tubo para que se lleve al agua.
El tubo no quiere llevarse el agua,
el agua no quiere apagar al fuego,
el fuego no quiere quemar al palo,
el palo no quiere pegarle al lobo,
el lobo no quiere sacar a la Chiva,
y la chiva no quiere salir de ahi.
Sal de ahí, chivita, chivita …
Vamos a llamar al hombre para que se lleve al tubo.
El hombre no quiere llevarse al tubo,
el tubo no quiere llevarse el agua,
el agua no quiere apagar al fuego,
el fuego no quiere quemar al palo,
el palo no quiere pegarle al lobo,
el lobo no quiere sacar a la Chiva,
y la chiva no quiere salir de ahi.
Sal de ahí, chivita, chivita …
Vamos a llamar a la suegra para que se lleve al hombre.
La suegra no quiere llevarse al hombre,
el hombre no quiere llevarse el tubo,
el tubo no quiere llevarse el agua,
el agua no quiere apagar al fuego,
el fuego no quiere quemar al palo,
el palo no quiere pegarle al lobo,
el lobo no quiere sacar a la Chiva,
y la chiva no quiere salir de ahi.
Sal de ahí, chivita, chivita …
Vamos a llamar al diablo para que se lleve a la suegra.
El diablo no quiere llevarse a la suegra,
la suegra no quiere llevarse al hombre,
el hombre no quiere llevarse el tubo,
el tubo no quiere llevarse el agua,
el agua no quiere apagar al fuego,
el fuego no quiere quemar al palo,
el palo no quiere pegarle al lobo,
el lobo no quiere sacar a la Chiva,
y la chiva no quiere salir de ahi.
Sal de ahí, chivita, chivita …
Vamos a llamar al angel para que se lleve al diablo,
El angel no quiere llevarse al diablo,
el diablo no quiere llevarse a la suegra,
la suegra no quiere llevarse al hombre,
el hombre no quiere llevarse el tubo,
el tubo no quiere llevarse el agua,
el agua no quiere apagar al fuego,
el fuego no quiere quemar al palo,
el palo no quiere pegarle al lobo,
el lobo no quiere sacar a la Chiva,
y la chiva no quiere salir de ahi.
Sal de ahí, chivita, chivita …
Vamos a llamar a Dios para que se lleve al angel.
Dios no quiere llevarse al angel,
el angel no quiere llevarse al diablo,
el diablo no quiere llevarse a la suegra,
la suegra no quiere llevarse al hombre,
el hombre no quiere llevarse el tubo,
el tubo no quiere llevarse el agua,
el agua no quiere apagar al fuego,
el fuego no quiere quemar al palo,
el palo no quiere pegarle al lobo,
el lobo no quiere sacar a la Chiva,
y la chiva no quiere salir de ahi.
Sal de ahí, chivita, chivita …
232 – LAS MENTIRAS
Y ahora que vamos despacio,
y ahora que vamos despacio,
vamos a contar mentiras, tralalá
vamos a contar mentiras, tralalá
Vamos a contar mentiras
salí de mi campamento, salí de mi campamento,
con hambre de 6 semanas,
tralalá con hambre de 6 semanas,
tralalá Con hambre de 6 semanas,
me encontré con un ciruelo,
y picaba con palillos.
me encontré con un ciruelo,
cargadito de manzanas,
tralalá cargadito de manzanas,
tralalá Cargadito de manzanas,
le empezé a tirar de piedras le empezé
a tirar de piedras
y cayeron avellanas,
tralalá y cayeron avellanas,
tralalá Y cayeron avellanas,
con el ruido de las nueces,
con el ruido de las nueces,
salió el dueño del peral,
tralalá salió el dueño del peral,
tralalá Salió el dueño del peral,
“Niños no tiren más piedras,
“Niños no tiren más piedras, que no es mío el melonar” ,
tralalá que no es mío el melonar” ,
tralalá “Que no es mío el melonar,
es de una pobre viuda,
es de una pobre viuda, que vive con 6 maridos”,
tralalá que vive con 6 maridos”,
tralalá Por el mar corren las liebres
por el mar corren las liebres,
las sardinas por el monte,
tralalá las sardinas por el monte,
tralalá Y aquí se acaba la historia,
Y aquí se acaba la historia,
de un torero sin igual,
tralalá de un torero sin igual,
tralalá, De un torero sin igual que toreaba con pañuelos,
que toreaba con pañuelos,
y picaba con palillos,
tralalá, y picaba con palillos,
tralalá, y picaba con palillos.

233 – SCOUT DE CORAZON
Yo soy scout ! de corazón ! Y acamparé con ilusión. Yo soy scout de corazón y acamparé con ilusión. Promesa y ley ! yo cumpliré ! Y a diario haré mi buena acción, promesa y ley yo cumpliré y a diario haré mi buena acción. Cocinaré ! En gran fogón ! Y a Dios daré mi corazón, cocinaré en gran fogón y a Dios daré mi corazón. Al monte fuí ! me resbalé ! Y me embarré de no se qué, al monte fuí me resbalé y me embarré de no se qué. Quiero cantar ! no sé cantar ! aprenderé con los scouts quiero cantar, no sé cantar, aprenderé con los scouts. Quiero nadar ! No sé nadar! aprenderé con Aquaman quiero nadar, no sé nadar, aprenderé con Aquaman. Quiero volar ! No sé volar ! aprenderé con Superman quiero volar, no sé volar, aprenderé con Superman. Quiero gritar ! No sé gritar ! aprenderé con mi mamá quiero gritar, no sé gritar, aprenderé con mi mamá. Quiero roncar ! No sé roncar ! aprenderé con mi papá quiero roncar, no seé roncar aprenderé con mi papá. Esta canción ! Ya se acabó ! es del scout de corazón, está canción ya se acabó, es del scout de corazón.

234 – EL ARCA DE NOE
Una vez Noé a la selva fue y reunió a los animales alrededor de él. Y estaba el cocodrilo el chango y el orangután, la gran serpiente y el águila real gatos, topos y elefantes también, solo no se vieron a los dos micos solo no se vieron a los dos micos. Gota a gota empezó a caer y subió tan alto que alcanzó un nivel entonces Noé le dijo al Señor: “Yo no espero más.” Y el arca cerró. Y estaba el cocodrilo el chango y el orangután, la gran serpiente y el águila real gatos, topos y elefantes también, solo no se vieron a los dos micos solo no se vieron a los dos micos.

235 – EL BATALLON
Atención ! Batallón !
Una mano va a empezar !
Nosotros somos un gran batallón, llón, llón,
que siempre está sirviendo al rey, al coronel y a los sargentos,
y el que no ponga atención recibirá un gran coscorrón.
Atención ! Batallón! La otra mano va a empezar !
Nosotros somos un gran batallón, llón, llón ….
Atención ! Batallón! Una pierna va a empezar !
Nosotros somos un gran batallón, llón, llón …..
Atención ! Batallón! La otra pierna va a empezar !
Nosotros somos un gran batallón, llón, llón …..
Atención ! Batallón! La cadera va a empezar !
Nosotros somos un gran batallón, llón, llón …..
Atención ! Batallón! La cabeza va a empezar !
Nosotros somos un gran batallón, llón, llón …..

236 – P´ARRIBA
P´arriba ! Camino ! Alegre y contento porque no me desanimo. P´abajo ! Trabajo ! Con fuerza de minero porque de esta no me rajo. P´alante ! Avante ! Buscando el horizonte mas alla del otro monte. Y grito ! Contento ! Porque hoy el Escultismo yo lo llevo aquí muy dentro.

237 – FLOR DE LIS
Floooooooooor de Lis Flor de Lis Flor de Lis Dorada que nació en mi pecho Y sin ser sembrada. Oh Flor de Lis (Flor de lis, Flor de lis) quien iba a pensar (quien iba a pensar) que en toda mi patria ibas a brillar Nuestro fundador (Nuestro fundador) Por algo escogió (por algo escogió) Este bello emblema Que a todos unió.

238 – EL INDITO
Hai, Hai, Hai, Shubari Hai, Hai, Hai, Hai, Shubari Hai, Shubari, Kumbeco Shubari, Kumbeco Shubari, Kumbeco, beco Shubari, Kumbeco, Hai ! Un indito iba en su burrito, Un indito iba en su burrito, de pronto los mosquitos comenzaron a molestarlo de pronto los tirantes se le iban cayendo y se los espantó de esta manera … y se los levantó de esta manera …
Hai, Hai, Hai, Shubari Hai, Hai, Hai, Hai, Shubari Hai, Hai, Hai, Hai, Shubari Hai, Hai, Hai, Hai, Shubari Hai, Shubari, Kumbeco Shubari, Kumbeco Shubari, Kumbeco Shubari, Kumbeco Shubari, Kumbeco, beco Shubari, Kumbeco, beco Shubari, Kumbeco, Hai ! Shubari, Kumbeco, Hai ! Un indito iba en su burrito, Un indito iba en su burrito, de pronto un dolor de panza comenzó a molestarlo de pronto un dolor de cabeza comenzó a y se sobaba de esta manera …
molestarlo, y se sobaba de esta manera …
Hai, Hai, Hai, Shubari Hai, Hai, Hai, Hai, Shubari Hai, Hai, Hai, Hai, Shubari Hai, Hai, Hai, Hai, Shubari Hai, Shubari, Kumbeco Shubari, Kumbeco Shubari, Kumbeco Shubari, Kumbeco Shubari, Kumbeco, beco Shubari, Kumbeco, beco Shubari, Kumbeco, Hai ! Shubari, Kumbeco, Hai !

239 – SHUSHUHUA
Pulgares arriba! Pulgares arriba ! Codos adentro ! Shushuhua Shushuhua Cola de Pato ! Shushuhua hua hua Estatura de enano ! Shushuhua Shushuhua Shushuhua hua hua Shushuhua Shushuhua Shushuhua hua hua Pulgares arriba ! Shushushua Shushuhua Codos adentro ! Shushuhua hua hua Shushuhua Shushuhua Pulgares arriba ! Shushuhua hua hua Codos adentro ! Shushuhua Shushuhua Cola de Pato ! Shushuhua hua hua Estatura de enano ! Cabeza de Olmeca ! Pulgares arriba ! Codos adentro ! Shushuhua Shushuhua Cola de Pato ! Shushuhua hua hua Shushuhua Shushuhua Shushuhua Shushuhua Shushuhua hua hua Shushuhua hua hua Shushuhua Shushuhua Shushuhua hua hua

240 – HAO !
Hao ! Hao ! Indio ! Indio ! Aguila Blanca ! Aguila Blanca ! Halcón Dorado ! Halcón Dorado ! Dicen que todos …. ! Dicen que todos …. ! se despeinen. Griten. Hao ! Hao ! Indio ! Indio Aguila Blanca ! Aguila Blanca ! Halcón Dorado ! Halcón Dorado ! Dicen que todos …. ! Dicen que todos …. ! bailen. Hagan lo que quieran.

241 – VIAJAR EN TREN
Viajar en tren ! Pitufi-Viajar en tren ! es de lo mejor ! es de lo Pitufi-mejor ! jalas el cordón ! jalas el pitufi-cordón ! y que se para el tren ! y se Pitufi-para el tren ! y que se para el tren ! y se Pitufi-para el tren ! El Inspector ! El Pitufi-Inspector ! se enojará ! se Pitufi-enojará ! y mandará ! y Pitufi-mandará ! a que se pare el tren ! a que se Pitufi-pare el tren ! a que se pare el tren ! a que se Pitufi-pare el tren ! Super -Viajar en tren ! Viajar en nave ! es de lo Super-mejor ! Es bien chido ! jalas el super-cordón ! jalas el mecate ! y se Super-para el tren ! y que se amarra la nave ! y se Super-para el tren ! y que se amarra la nave ! El Super-Inspector ! El Carnal del Inspector se Super-enojará ! se engorilará y Super-mandará ! y chale-ordenará a que se Super-pare el tren ! a que se amarre la nave ! a que se Super-pare el tren ! a que se amarre la nave ! Bati -Viajar en tren ! Viajar en Pullman ! es de lo Bati -mejor ! es muy suave ! jalas el Bati-cordón ! jalas el cordel ! y que se Bati -para el tren ! y se detiene el Pullman ! y que se Bati -para el tren ! y se detiene el Pullman ! El Bati -Inspector ! El Señor Inspector ! se Bati -enojará ! se molestará ! y Bati -mandará ! y manifestará ! a que se Bati -pare el tren ! que se detenga el Pullman ! a que se Bati -pare el tren ! que se detenga el Pullman !

242 – QUERIA ACAMPAR
Por fin de campamento hay que preparar lo que necesito para acampar. Y empiezan mis problemas la mochila hay que arreglar pedir tienda prestada y el permiso de papá. Pero quería acampar salir de la ciudad y a mi patrulla demostrar que en el campo soy buen scout, scout, scout Ya vamos caminando con la mochila atrás mi guía se ha perdido van cuatro vueltas ya! Por fin hemos llegado el sol ya se metió un tormentón cayó y todo se mojó! Pero quería acampar salir de la ciudad y a mi patrulla demostrar que en el campo soy buen scout, scout scout Y al día siguiente mi guía nos levantó entrando ya las nueve y el programa retrasó! Ya vamos a nadar el traje se me olvidó un clavado en calzón y una gripe me cayó! Pero quería acampar salir de la ciudad y a mi patrulla demostrar que en el campo soy buen scout, scout, scout Ya vamos a comer el arroz ya se quemó diarrea me agarró y el papel se me olvidó ! La tragedia terminó cuando se nos fue el camión el dinero se acabó Y a pedir un aventón! Pero quería acampar salir de la ciudad y a mi patrulla demostrar que en el campo soy buen scout, scout, scout

243 – OH! QUE FELIZ
Oh! qué feliz hoy me siento yo después de hacer una buena acción. En el cielo azul localizaré la luz del sur y la observaré. Voy a cumplir Mi promesa y ley defenderé al pobre y al Rey. Oh! qué feliz cuando veo la luz, la luz de Dios en mi corazón.

244 – YO SOY SCOUT SEÑORES
Yo soy scout señores, y escalo las alturas y al pie del Popocatépetl se encuentra mi sepultura. Andar, andar, andar, Ay, andar ! mi gusto es escalar, escalar y bajo las estrellas tan bellas, tan bellas, acampar. Me gusta asar un conejo al pie de San Miguel y encender mi fogata Sin cerillo ni papel. Andar, andar, andar, Ay, andar ! mi gusto es escalar, escalar y bajo las estrellas tan bellas, tan bellas, acampar. Yo tengo una promesa y una ley que observar la buena acción cotidiana jamás la debo olvidar. Andar, andar, andar, Ay, andar ! mi gusto es escalar, escalar y bajo la estrellas tan bellas, tan bellas, acampar.

245 – OH MANA
Oh Maná oh-oh-oh Oh ye penuno ye Akida apodiada Amanú Apodidá apodidú

246 – OH! ÑEÑE
Oh! Ñeñé añeñé añeñé añengué Oh! Ñeñé añeñé añeñé añengué Oh añeñé añeñé Oh añeñé añangó

247 – DANZA DE LA LLUVIA
Kumba, kumba, kumba, kumba …..
Guni-guni-guni shingangú shingangú
Guni-guni-guni shingangú shingangú
Oshela o-oshela oshela ela ela ó
oshela o-oshela oshela ela ela ó
Kumba, kumba, kumba, kumba …..
248 – EL POZO
Narananara
Narananara
Narana
Nararara
Narananara
Narananara
Narana
Nararara

249 – EL RELOJ
A la una, sale la luna. A las dos, te digo adiós, sale la luna A las tres, volteas al revés, diciéndote adiós, sale la luna. A las cuatro, ahí viene el pato, volteas al revés, diciéndote adiós, sale la luna. A las cinco, me doy un brinco, ahí viene el pato, volteas al revés, diciéndote adiós, sale la luna. A las seis, juego al ajedrez, me doy un brinco, ahí viene el pato, volteas al revés, te digo adiós, sale la luna. A las siete, saco el machete, juego al ajedrez, me doy un brinco, ahí viene el pato, volteas al revés, te digo adiós, sale la luna. A las ocho, como un bizcocho, saco el machete, juego al ajedrez, me doy un brinco, ahí viene el pato, volteas al revés, te digo adiós, sale la luna. A las nueve, como una nieve, como un bizcocho, saco el machete, juego al ajedrez, me doy un brinco, ahí viene el pato, volteas al revés, te digo adiós, sale la luna. A las diez, brinco otra vez, como una nieve, como un bizcocho, saco el machete, juego al ajedrez, me doy un brinco, ahí viene el pato, volteas al revés, te digo adiós, sale la luna. A las once, estatuas de bronce, brinco otra vez, como una nieve, como un bizcocho, saco el machete, juego al ajedrez, me doy un brinco, ahí viene el pato, volteas al revés, te digo adiós, sale la luna. A las doce, ahí viene el profe, estatuas de bronce, como una nieve, como un bizcocho, saco el machete, juego al ajedrez, me doy un brinco, ahí viene el pato, volteas al revés, te digo adiós, sale la luna.

250 – ONE, TWO, THREE
Me dio un one, two, three. Cabeza boca me dio un one, two, three. Cabeza boca mano codo me dio un one, two, three. Cabeza boca mano codo pie rodilla me dio un one, two, three. Cabeza boca mano codo pie rodilla medio paso me dio un one, two, three. Cabeza boca mano codo pie rodilla medio paso paso entero me dio un one, two, three. Cabeza boca mano codo pie rodilla medio paso paso entero paso atrás me dio un one, two, three. Cabeza boca mano codo pie rodilla medio paso paso entero paso atrás media vuelta me dio un one, two three. Cabeza boca mano codo pie rodilla medio paso paso entero paso atrás media vuelta vuelta entera me dio un one, two, three. Cabeza boca mano codo pie dorilla medio paso paso entero paso atrás media vuleta vuelta entera medio brinco me dio un one, two, three. Cabeza boca mano codo pie dorilla medio paso paso entero paso atrás media vuleta vuelta entera medio brinco brinco entero me dio un one, two, three. Cabeza boca mano codo pie dorilla medio paso paso entero paso atrás media vuleta vuelta entera medio brinco brinco entero ……………… me dio un one, two, three.

251 – EL HOYO EN EL FONDO DE LA MAR
Había un hoyo en el fondo de la mar Había un hoyo en el fondo de la mar Había un hoyo, había un hoyo, había un hoyo en el fondo de la mar Había un palo en el hoyo en el fondo de la mar, Había un palo en el hoyo en el fondo de la mar, Había un palo, había un palo Había un palo en el hoyo en el fondo de la mar. Había un nudo en el palo en el hoyo en el fondo de la mar, Había un nudo en el palo en el hoyo en el fondo de la mar, Había un palo, había un palo, Había un nudo en el palo en el hoyo en el fondo de la mar. Había una mosca en el nudo en el palo en el hoyo en el fondo de la mar Había una mosca en el nudo en el palo en el hoyo en el fondo de la mar Había una mosca, había una mosca, Había una mosca en el nudo en el palo en el hoyo en el fondo de la mar. Había una mancha en la mosca en el nudo en el palo en el hoyo en el fondo de la mar Había una mancha en la mosca en el nudo en el palo en el hoyo en el fondo de la mar Había una mancha, había una mancha, Había una mancha en la mosca en el nudo en el palo en el hoyo en el fondo de la mar. Había un pelo en la mancha en la mosca en el nudo en el palo en el hoyo en el fondo de la mar Había un pelo en la mancha en la mosca en el nudo en el palo en el hoyo en el fondo de la mar Había un pelo, había un pelo Había un pelo en la mancha en la mosca en el nudo en el palo en el hoyo en el fondo de la mar. Había un piojo en el pelo en la mancha en la mosca en el nudo en el palo en el hoyo en el fondo de la mar Había un piojo en el pelo en la mancha en la mosca en el nudo en el palo en el hoyo en el fondo de la mar Había un piojo, había un piojo, Había un piojo en el pelo en la mancha en la mosca en el nudo en el palo en el hoyo en el fondo de la mar

252 – RESPIRAR
Respirar, A pleno pulmón, La brisa marina que sale debajo del agua del fondo del mar, Un chico yeye Con esa melena Parece una nena Con los scouts A echarle ganas Para poder Respirar….!

253 – JIHUAYEYA
Praderas de esmeralda Canteras que escalar Montes de verdes faldas Tendremos que cruzar A la cima lejana Cantando alegres ir Y regiones olvidadas descubrir. Jihuayeya, juhuayey Vamos al valle de la tuna y el maguey Jihuayeya, juhuayey Somos scouts de México y de Lord B.P. Al fin de la jornada Tendremos que acampar La armónica entonada Prorrumpe en su cantar La noche está serena La luna por salir Noche de luna que nos cuida al dormir Jihuayeya, juhuayey Vamos al valle de la tuna y el maguey Jihuayeya, juhuayey Somos scouts de México y de Lord B.P.

254 – VIEJO UNIFORME
Viejo uniforme, cuánto tiempo ha pasado Cuántos recuerdos haces tú revivir Cuántas canciones paso a paso he cantado Que no olvidaré Subiendo las altas cumbres por los caminos que besaba el sol Mil flores desconocidas te acariciaban sin hacer rumor Sobre las dunas del desierto infinito Sobre las olas del serúleo mar Siempre contigo incansable he marchado Sin despertar. Subiendo las altas cumbres por los caminos que besaba el sol Mil flores desconocidas te acariciaban sin hacer rumor Siempre contigo como en tiempos pasados Bajo la lluvia bajo el cielo azul El campamento si lo quiere el destino Volveré aún. Subiendo las altas cumbres por los caminos que besaba el sol Mil flores desconocidas te acariciaban sin hacer rumor Viejo uniforme cuéntame y habla tú De mi juventud

255 – CANCION DE LA FOGATA
La fogata
La fogata
Nos une Nos une
Vengan todos
Vengan todos
Cantemos cantemos.

256 – OH SARI MARES
Oh Sari Marés, viejo amigo del ayer En mí tu recuerdo vive Mi amor es más fuerte que el viento y que la luz Que pueden dejar de existir. Oh, quiero volver a mi buen Transval Viejo lugar de ensueño El viento perfumado en los bosques de verdor Por siempre de amor nos habla El viento perfumado en los bosques de verdor Por siempre nos habla de amor. Y cuando yo partí mis amores yo dejé El viento sopló a las velas Y después en mi alma no he podido borrar Los bellos recuerdos de ayer. Oh, quiero volver a mi buen Transval Viejo lugar de ensueño El viento perfumado en los bosques de verdor Por siempre de amor nos habla El viento perfumado en los bosques de verdor Por siempre nos habla de amor.

257 – HIMNO DE MEZTITLA
Volver a acampar Volver a gozar Venir a Meztitla Para ser un buen scout Con mi mochila al hombro Cantando al caminar Siguiendo la verda ya pronto he de llegar La insignia de madera Yo quieroaquí tomar Rodeado de montañas viviendo la hermandad. Cumpliendo mi Promesa Alegre el corazón Con B.P. adelante sirviendo con Honor.

258 – LA CAMPAMOCHA
Salí de campamento Con mi Jefe a pasear, Y muchas cosas bellas Yo pude observar. Una de ellas, la más curiosa, un animalito. Que cosa rara, cómo se mueve, es la campamocha. La campamocha, la campamocha Así se mueve la campamocha. La campamocha, la campamocha Así se mueve la campamocha.

259 – METER LA MANO
Meter la mano Meter el cuerpo Sacar la mano sacar el cuerpo Meter la mano meter el cuerpp Sacúdela! Sacúdelo! Con el chiribiribín de la media vuelta Con el chiribiribín de la media vuelta Para parampam pám.. uh! Para parampam pám.. uh! Meter la otra Sacar la otra Meter la otra Sacúdela! Con el chiribiribín de la media vuelta Para parampam pám.. uh! Meter un pie Sacar el pie Meter el pie Sacúdelo! Con el chiribiribín de la media vuelta Para parampam pám.. uh! Meter el otro Sacar el otro Meter el otro Sacúdelo! Con el chiribiribín de la media vuelta Para parampam pám.. uh! Meter la cabeza Sacar la cabeza Meter la cabeza Sacúdela! Con el chiribiribín de la media vuelta Para parampam pám.. uh!

260 – CANCION DE DESPEDIDA ¿Por qué perder las esperanzas de volverse a ver?
¿Por qué perder las esperanzas si hay tanto querer?
No es más que un hasta luego, no es más que un breve adiós Muy pronto junto al fuego nos reunirá el Señor.
Con nuestras manos enlazadas en torno al calor Formemos esta noche un círculo de amor.
No es más que un hasta luego, no es más que un breve adiós Muy pronto junto al fuego nos reunirá el Señor.
Es el Señor que nos protege y nos va a bendecir Seguro que otra noche nos volverá a reunir.
No es más que un hasta luego,no es más que un breve adiós Muy pronto junto al fuego nos reunirá el Señor.

261 – CINCO ALPINOS
Eran cinco alpinos que venían de la guerra El señor rey se fue a morir a China Eran cinco alpinos que venían de la guerra ía ía rataplán El señor rey se fue amorir a China ía ía rataplán que venían de la guerra. Se fue a morir a China. El más pequeño traía un ramo de flores Años después los tres resucitaron El más pequeño traía un ramo de flores ía ía rataplán Años después los tres resucitaron ía ía rataplán tenía un ramo de flores. Los tres resucitaron. La hija del rey estaba en su ventana Y así nació la bella raza alpina La hija del rey estaba en su ventana ía ía rataplán Y así nació la bella raza alpina ía ía rataplán estaba en su ventana. La bella raza alpina. Le dijo ven, regálame tus flores Le dijo ven, regálame tus flores ía ía rataplán regálame tus flores. Te las daré si te casas conmigo Te las daré si te casas conmigo ía ía rataplán si te casas conmigo. Dícelo al rey que es el señor mi padre Dícelo al rey que es el señor mi padre ía ía rataplán que es el señor mi padre. Oh, señor rey me caso con su hija Oh, señor rey me caso con su hija ía ía rataplán me caso con su hija. Si te casáis te mando fusilar Si te casáis te mando fusilar ía ía rataplán te mando fusilar. Al día siguiente caía fusilado Al día siguiente caía fusilado ía ía rataplán caía fusilado. La hija del rey también murió de pena La hija del rey también murió de pena ía ía rataplán también murió de pena.

262 – EL TIO REMUS
El tío Remus lo contó Un zorrillo se burló Dicen que lo presenció del olor de un marrano Que a las doce de la noche Por eso Dios lo castigó Una jirafa el sol miró. Y todo el cuerpo le perfumó. Tu ru tu tu tu ru ru ru ru ru Tu ru tu tu tu ru ru ru ru ru Tu ru tu tu tu ru ru ru ru ru Tu ru tu tu tu ru ru ru ru ru ¡Más, más, queremos más! ¡Más, más, queremos más! Una serpiente se burló Un camello se burló De las rayas de una cebra de la joroba de un dromedario Por eso Dios la castigó por eso Dios lo castigó Y en una raya la convirtió. Y la joroba le duplicó. Tu ru tu tu tu ru ru ru ru ru Tu ru tu tu tu ru ru ru ru ru Tu ru tu tu tu ru ru ru ru ru Tu ru tu tu tu ru ru ru ru ru ¡Más, más, queremos más! ¡Más, más, queremos más! Un elefante se burló Del hocico de un cochino Por eso Dios lo castigó Y de la trompa lo restiró. Tu ru tu tu tu ru ru ru ru ru Tu ru tu tu tu ru ru ru ru ru ¡Más, más, queremos más! Una patera ser burló De las manchas de un leopardo Por eso Dios la castigó Y en una sombra la convirtió. Tu ru tu tu tu ru ru ru ru ru Tu ru tu tu tu ru ru ru ru ru ¡Más, más, queremos más!
263 – CLEMENTINA
Un minero en una mina Una hija poseía Era bella, era fina Se llamaba Clementina. Era esbelta pues en kilos de noventa no pasaba y su piececillo chico del nueve y medio calzaba. Las mañanas muy temprano Con sus ganzos se paseaba Por las orillas del río Pero nunca se bañaba. Me miraba, me reía Y por verme tropezó las burbujas sí salían pero mi Clementina no. Auxilio! Socorro! Vengan pronto a ayudarme Que mi Clementina se hunde Y no la puedo sacar. Le llore, la extrañe A mi pobre Clementina Pero conocí a su prima Y con ella me casé.

264 – ALELE
Oh! Oh! Aléle Aléle Aléle
Lita tonga Aléle la panchita
Amasa amasa amasa
Me tomo jarabito
Oh Aloé aloé aloá
Oh Aloé aloé aloá
Oh! Aléle Aléle cabezita
Me tomo una aspirina
Oh aloé aloé aloá

265 – CHECHEKORE
Che-ché Koré
Che-ché Koré
Che-ché Koritza
Che-ché Koritza
Itsar itsamanda Itsar itsamanda
tsa-tsamanda tsa-tsamanda
oh ma che-ché
oh ma che-ché

266 – EL SAPO
Había un sapo, sapo, sapo que nadaba en un río, ríio, río con su traje verde, verde, verde se moría de frío, frío, frío, la señora sapa, sapa, sapa tenía un amigo, amigo, amigo que era profesor.
267 – EL VENADO
En una CASA del BOSQUE un VENADO vió VENIR un CONEJO que TEMBLABA y le DIJO así: “AY, AY, ábreme que me MATA el cazador” “AY, AY, ábreme que me MATA el cazador” – Anda PASA por favor venme a SALUDAR.

268 – CUANDO TENGAS MUCHAS GANAS
Cuando tengas muchas ganas de aplaudir (clap, clap) Cuando tengas muchas ganas de aplaudir (clap, clap) cuando tengas la razón y no hay contradicción no te quedes con las ganas de aplaudir. Cuando tengas muchas ganas de cantar (la, la) Cuando tengas muchas ganas de cantar (la, la) cuando tengas la razón y no hay contradicción no te quedes con las ganas de cantar. Cuando tengas muchas ganas de torear (olé) Cuando tengas muchas ganas de torear (olé) cuando tengas la razón y no hay contradicción no te quedes con las ganas de torear (olé), de cantar, (la, la), de aplaudir (clap, clap). Cuando tengas muchas ganas de comer (arroz) Cuando tengas muchas ganas de comer (arroz) cuando tengas la razón y no hay contradicción no te quedes con las ganas de comer (arroz), de torear (olé), de cantar, (la, la), de aplaudir (clap, clap). Cuando tengas muchas ganas de patear (toc, toc) Cuando tengas muchas ganas de patear (toc, toc) cuando tengas la razón y no hay contradicción no te quedes con las ganas de patear (toc, toc), de comer (arroz), de torear (olé), de cantar, (la, la), de aplaudir (clap, clap). Cuando tengas muchas ganas de llorar (bua) Cuando tengas muchas ganas de llorar (bua) cuando tengas la razón y no hay contradicción no te quedes con las ganas de llorar (bua), depatear (toc, toc), de comer (arroz), de torear (olé), de cantar, (la, la), de aplaudir (clap, clap). Cuando tengas muchas ganas de reír (ja, ja) Cuando tengas muchas ganas de reír (ja, ja) cuando tengas la razón y no hay contradicción no te quedes con las ganas de reír (ja, ja), llorar (bua), depatear (toc, toc), de comer (arroz), de torear (olé), de cantar, (la, la), de aplaudir (clap, clap).
269 – Amigo
Um amigo é um bem, um tesouro, que se tem
São as vozes das estrelas, que nos levam aqui e mais além
São momentos bons e maus, nesta estrada percorrida
Digo mais: não vos trocava por nada desta vida.
E talvez um dia, chegue a hora do adeus
Deixar-vos-ei com pena, amigos, amigos meus
Mas mesmo longe, vós estais perto, ao pé de mim
Pois, entre amigos, entre amigos é assim.
Um amigo é um irmão, nosso pensamento, nossa mão
Tu amigo, que aqui estás, p’ra ti canto esta canção
O tempo voa neste momento e já estamos de partida
Digo mais: não vos trocava por nada desta vida.
270 – A Uni
A uni uni a, a uni
A uni uni a, a emos
Aaa…uni a
A emos (a emos) – Bis
271 – Em Pista Com B. P.
Em pista com B.P.
Queremos a vida olhar
Ser felizes amando
Para a Deus chegar
272 – O Dia Chegou ao Fim
O dia chegou ao fim
Silêncio, a noite desceu,
Boa noite, paz em Deus.
Por tudo quanto nos deste
O dia, a luz e o calor
Obrigado, Òh Senhor.
O dia…
Hum, hum, hum, …
273 – Sobem as Chamas
Sobem as chamas, sobem as chamas
Mais alto, mais alto
Iluminam e aquecem
Nossas vidas, nossas almas.
Sobem as chamas, sobem as…
274 – O Mar é Lindo
No mar no fundo ra-ta-plam
Sobre as areias ra-ta-plam
Dançam sereias, quando há luar ra-ta-plam
O mar é lindi e a noite é bela
Desfralde a vela, remar, remar ra-ta-plam
No mar nu fundo ra-ta-plam
Sobre os alchofres ra-ta-plam
Há lindos cofres que de hei de dar ra-ta-plam
O mar é lindo e a noite é bela
Desfralde a vela, rema, remar ra-ta-plam
275 – Hino do XIX ACANAC
Se és Lobito
Chefe ou Caminheiro
Explorador Pioneiro
Estamos unidos
Numa só missão
E somos iguais nesta canção.
Não há longe nem distância
Há um futuro que espera em nós
Algo novo diferente
Grita Alerta a nossa voz.
Há um sorriso
Em cada olhar
Há um motivo para cantar
Esta canção
O hino que é
Do ACANAC, Alerta, CNE.
Não há longe nem distância
Há um futuro que espera em nós
Algo novo diferente
Grita Alerta a nossa voz.
276 – Grita Comigo
Grita comigo
Que é possível
Avançar contra a corrente,
Grita comigo
Que é possível
Se te tiram as palavras.
Será tua vida
A que grita fortemente.
277 – Hino Rover ’98
De mãos dadas vamos
Agir para mudar
No Rover 98
A esperança semear.
O Rover 98
São todos os que aqui estão
Agiremos p´ra mudar
Se dermos a nossa mão.
Há um farol que nos guia
Que dia e noite se vê
É o espírito e a alegria
Do ideal de B.P.
A esperança que todos temos
Na vontade de agir
A mochila não esquecemos

Quando temos de servir.
Refrão
Quero ver no noosso lenço vermelho
A fogueira da amizade
Jesus Cristo é nosso espelho
Na procura da verdade
Quero ouvir esse grito de alerta
De alerta para servir
Fica assim o porta aberta
De um mundo p´ra agir.
278 – Oração do Escuta
Senhor Jesus, ensinai-me a ser generoso,
a servir-vos como Vós o mereceis
a dar-me sem medida, a combater sem cuidar das feridas
a trabalhar sem procurar descanso,
a gastar-me sem esperar outra recompensa
senão saber que faço a Vossa vontade Santa.
Amen.


Paulo Jorge
GE do Butantã
Fone 11-79079592
NOVIDADE >>>>>>>>>> http://www.twitter.com/gedobutanta

Sede Administrativa:
R.Dr.João Vieira Neves, 343
Butantã – São Paulo – S.P.

Imprima este artigo Imprima este artigo

Comentários

2 comentários para “Cancioneiro Escoteiro”
  1. SANTOS ARGENTE disse:

    PARABENS PELO SITE DE APRESENTAÇÃO. PROCURO A MUSICA ALÔ, BOM DIA PARA FAZER PARTE DE ABERTURA DO PROGRAMA QUE APRESENTO TODOS OS DIAS DAS 06.00 ÀS 08.00. SE ALGUEM TIVER ESTA MÚSICA, POR FAVOR ME REPASSEM. OBRIGADO

  2. Paulo Cabello disse:

    No site http://www.lisbrasil.com você encontra 335 MP3 ou vídeos de músicas escoteiras.
    Em breve você poderá escrever e enviar seu arquivo com suas músicas.

Comente este artigo